24/07/2024 03:02:16

Polícia
24/02/2024 20:00:00

Lamborghini, Porsche e lancha: quadrilha luxava com esquema de pirâmide e golpes no CE

A 'Operação Restauração' foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (23), no Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza


Lamborghini, Porsche e lancha: quadrilha luxava com esquema de pirâmide e golpes no CE

A Polícia Civil do Ceará deflagrou uma operação na manhã desta sexta-feira (23), no Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), chamada Restauração. O objetivo do trabalho, como o nome sugere, não era apenas identificar e responsabilizar os suspeitos de comandar um esquema criminoso que criava empresas de investimento em criptoativos e apostas online, como, também, devolver às vítimas, quando possível, a maior parte do dinheiro perdido por elas no golpe.

Quatro empresários são alvos da operação. De acordo com as investigações, as vítimas chegavam a investir até R$ 100 mil nas empresas dos suspeitos, que ostentavam vida de luxo nas redes sociais.

"Esse grupo, basicamente, atuava em pirâmides financeiras, fazendo captação de dinheiro e transformando [esse dinheiro] em criptoativos e criando falsas aplicações, prometendo lucros fáceis na Internet. Eles se utilizavam das próprias redes sociais para mostrar sucesso, ostentar. Nós aprendemos oito veículos de luxo. Tem alguns que são conhecidos como super esportivos, LamborghiniPorsche. São veículos de alto valor", informou o delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Márcio Gutiérrez.

Com mandados de busca e apreensão, a Polícia sequestrou oito automóveis e 25 relógios de luxo, uma lancha e um imóvel na manhã desta sexta-feira. Além disso, foram bloqueados os criptoativos e as contas bancárias dos empresários investigados.

Lancha apreendida pela Polícia
Legenda: Uma lancha também foi apreendida pela Polícia
Foto: Messias Borges

Um dos suspeitos, a Polícia detalhou, ostentava com veículos, relógios, viagens e outras situações que demonstravam que ele supostamente teria chegado a algum lugar de destaque na vida. "Aí, para que outras pessoas também conseguissem aquele mesmo sucesso, é que entram as aplicações falsas, os robozinhos que prometem lucros. Logicamente, sempre num volume bem mais alto do que o próprio mercado financeiro entrega. Então, eles trabalhavam muito essa questão de ostentar para mostrar algo que pudesse ser objeto de desejo e captar mais clientes, fazer mais vítimas", explicou Renê Mesquita, titular Delegacia de Combate à Lavagem de Dinheiro (DCLD).

INVESTIGAÇÃO

O grupo, que atuava em conjunto, é suspeito de crimes como lavagem de dinheiro, crime contra a economia popular e estelionato envolvendo operações com criptoativos.

A operação é coordenada pela DCLD, do Departamento de Recuperação de Ativos (DRA) da Polícia Civil, e tem o apoio do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro. 

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/



Enquete
De 0 a 05 classifique o que você acha da Verde a Concessionária de Água e Esgotos em União dos Palmares
Total de votos: 109
Notícias Agora
Google News