05/03/2024 01:17:59

Acidente
08/02/2024 06:00:00

A real de Portugal: cantor brasileiro é ameaçado por neonazistas


A real de Portugal: cantor brasileiro é ameaçado por neonazistas

As ameaças, que chegam por telefone e pelas redes sociais, são tantas, que o brasileiro decidiu registrar um boletim de ocorrência junto a uma delegacia nesta quarta-feira (07/02). Há o temor do uso da violência, já que os neonazistas disseram estar prontos para pegá-lo na rua. Inclusive, já mapearam os locais onde o músico, que lidera a banda Myrkgand, se apresenta.

Dmitry conta que não sabia quem eram as cerca de 100 pessoas que estavam posicionadas no Largo de Camões, no centro de Lisboa, criticando a presença de imigrantes em Portugal. Mas, assim que tomou conhecimento por meio da própria polícia, começou a filmá-los e a desqualificá-los. Um dos organizadores da manifestação, Nuno Antunes, o agrediu verbalmente. “Volte para a sua terra, seu macaco”, disparou o português.

Nem de direita, nem de esquerda

A manifestação, que seguiu até a Praça do Município, onde fica a sede da Câmara Municipal, foi organizada pelo português Mário Machado, declaradamente um radical de direita, que defende a tese de “Portugal para os portugueses”. Ele, inclusive, também estaria ameaçando Dmitry. “Fiz questão de entregar para a polícia as cópias de todas as ameaças que recebi, inclusive desse Mário”, relata o brasileiro.

Dmitry destaca que não é ativista nem de direita nem de esquerda. “Na verdade, critico os dois lados. Sempre critiquei, assim como elogio o que fazem de bom. Agora, não dá para aceitar esses movimentos nazistas, que atacam todos os imigrantes. Eu sou imigrante”, afirma. “Com essas pessoas fascistas não há conversa. Por isso, optei pelo deboche. E estão me ameaçando”, frisa.

O movimento dos neonazistas estava marcado para ocorrer no bairro de Martim Moniz, onde se concentra o grosso dos imigrantes muçulmanos em Lisboa. Na convocação para a manifestação, os radicais pediam que seus apoiadores levassem chicotes e tochas para expulsar os estrangeiros que querem acabar com a população branca portuguesa por meio da miscigenação.

O temor de violência levou a Câmara Municipal de Lisboa a proibir a manifestação em Martim Moniz. Os neonazistas acabaram se concentrando no Largo de Camões, no Chiado, sob forte esquema policial. O líder do movimento disse que a manifestação foi esvaziada por causa da campanha contra feita pela imprensa.

Correio Braziliense - Blog do Vicente



Enquete
Se fosse fosse gestor, o que você faria em União dos Palmares: um campo de futebol ou a barragem do rio para que não falte agua na cidade?
Total de votos: 62
Notícias Agora
Google News