05/03/2024 02:09:46

Saúde
07/02/2024 16:00:00

Dengue: veja quais remédios são indicados e quais são contraindicados

Medicamentos para dores musculares e vômito, além de hidratação, são as formas de atenuar a doença


Dengue: veja quais remédios são indicados e quais são contraindicados

Com o aumento de casos em todo o Brasil, a dengue tem acometido milhares de pessoas nas últimas semanas. Com sintomas incômodos e que muitas vezes impedem o bem-estar mínimo para viver, a doença tem causado preocupação sobre qual medicamento é indicado para tratá-la.

É possível encontrar em grupos de Whatsapp ou em publicações nas redes sociais sugestões de medicamentos ou ativos orgânicos para evitar ou tratar a doença, mas é preciso ficar atento porque as indicações, muitas vezes, não tem comprovação científica e podem causar piora no quadro de saúde.

 
PUBLICIDADE

O presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Alberto Chebabo, alerta que não há um remédio para tratar a dengue em si e não é recomendado acreditar em soluções mágicas. “A dengue é uma doença viral que não existe antiviral específico para tratá-la. Então o que se faz é tratar os sintomas”, explica o infectologista.

Os sintomas da dengue “clássica” são febre alta, dores musculares, dor nos olhos, dor na cabeça, além de mal estar, falta de apetite e manchas vermelhas no corpo. Para esses incômodos, o tratamento é feito por meio de um tripé, explica Alberto: hidratação, uso de antitérmico (remédio) e medicação para vômito.

Os medicamentos indicados para tratar a doença são antitérmicos. A dipirona é a escolhida para atenuar os sintomas sem ter efeitos nas plaquetas. “Aspirina ou ácido acetilsalicílico são drogas que têm ação sobre as plaquetas, por isso não são indicados, porque já há uma redução delas por causa da própria doença”, detalha o infectologista.

Além disso, corticoides são contraindicados para a doença. Já os anti-inflamatórios não são preferíveis, porque podem atuar sobre as plaquetas, mas com menos intensidade do que as medicações feitas com ácido acetilsalicílico.

“No entanto, o anti-inflamatório pode ser usado nos casos de alergia à dipirona. Assim, usamos Ibuprofeno ou Tylenol”, afirma. Mais do que medicamentos, Alberto lembra a importância de manter uma hidratação profunda, com três a quatro litros de líquidos por dia.

“Pode ser água ou isotônicos, além de hidratação com soro caseiro para manter uma hidratação adequada, que é a principal causa de complicação e até de óbito na dente”, ressalta.

Dengue hemorrágica

Após sete dias da doença, os sintomas podem desaparecer, e o paciente ser curado, ou, em alguns casos, apresentar piora, que é o caso da dengue hemorrágica.

Os sinais de alarme para verificar se o quadro está em piora é dor abdominal intensa e contínua ou quando o abdômen é tocado; vômito persistente; sangramento de nariz e/ou gengiva; perda de sensibilidade ou irritabilidade; tontura ou queda de pressão em determinadas posições.

Nesse caso, a indicação é a procura rápida de um hospital para atendimento. A dengue hemorrágica pode levar à morte.

Dengue hemorrágica: como identificar sintomas e quais os grupos de risco

Segundo a infectologista, os sintomas da dengue grave geralmente começam com sangramentos no nariz, gengiva e até mesmo nos olhos

O quadro de dengue grave, também conhecida como dengue hemorrágica, ocorre quando a doença afeta as plaquetas — células do sangue responsáveis pela coagulação, causando hemorragias internas e externas. O quadro pode ser fatal em pessoas com sistema imunológico fragilizado e reincidentes.

As pessoas mais suscetíveis a desenvolver a dengue grave são as consideradas vulneráveis, na faixa etária extrema, ou seja, menores de cinco anos e pessoas acima dos 60 anos. “Inclui-se no grupo as pessoas adoecidas; com diabetes descontrolada, asma brônquica, pessoas que estão em tratamento de quimioterapia, em hemodiálise, e que fazem  uso de imunobiológicos e as imunossuprimidas. Estudos mostram que os indivíduos que sofrem uma segunda infecção têm maiores riscos de evoluir para a dengue hemorrágica e merecem atenção ”, aponta Eliana Bicudo, médica infectologista da Clidip vacinas.

Segundo a infectologista, os sintomas da dengue grave geralmente começam com sangramentos no nariz, gengiva e até mesmo nos olhos. “Febre persistente, vômitos, diarreia e dores abdominais que não cedem a analgésicos, também são sintomas que podem aparecer”, explica Eliana Bicudo.

De acordo com o Instituto Butantan, em caso de apresentação dos sintomas, deve-se procurar atendimento médico urgente, pois, o período que compreende das 24h às 48h posteriores é determinante para evitar complicações e morte. 

Tratamento

O principal tratamento da dengue hoje é a reposição de líquidos e, em casos avançados, se houver sangramento, a reposição de plaquetas. Medicamentos também podem ser usados para controlar os sintomas de dor, como paracetamol. É importante evitar medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e aspirina, já que eles afinam o sangue e aumentam o risco de hemorragias.

Correio Braziliense

 
 


Enquete
Se fosse fosse gestor, o que você faria em União dos Palmares: um campo de futebol ou a barragem do rio para que não falte agua na cidade?
Total de votos: 62
Notícias Agora
Google News