30/11/2023 08:53:06

Acidente
10/11/2023 04:00:00

Jihad Islâmica Palestina publica vídeo de reféns e diz que pode libertá-los se “condições forem atendidas”


Jihad Islâmica Palestina publica vídeo de reféns e diz que pode libertá-los se “condições forem atendidas”

O grupo extremista Jihad Islâmica Palestina publicou, na quinta-feira (9), um vídeo de dois reféns israelenses, uma mulher de 70 anos e um adolescente de 13. Eles afirmam que ambos estão em Gaza e que estão prontos para libertá-los "se as condições de segurança forem atendidas".

“Estamos prontos para libertá-los por razões humanitárias quando as condições de segurança no terreno estiverem reunidas”, disse o porta-voz da ala militar da Jihad Islâmica, conhecida pelo nome de guerra de Abu Hamza, um grupo que luta ao lado do Hamas contra Israel no Faixa de Gaza.

A mídia israelense divulgou informação sobre o vídeo, publicando apenas uma captura de tela.

O porta-voz da Jihad Islâmica afirmou que o seu grupo participou nos combates ao lado do Hamas desde o lançamento da operação "Al-Aqsa Flood", o ataque de 7 de outubro realizado por comandos do movimento islâmico que deixou mais de 1.400 mortos, em Israel, a maioria civis, segundo as autoridades israelenses. Abu Hamza afirmou, no vídeo, que seu grupo também mantinha reféns, sem especificar o número.

Quase 240 pessoas, israelenses, mas também estrangeiros, foram raptadas durante este ataque e levadas para a Faixa de Gaza, onde são mantidas reféns. A ala militar do Hamas afirma deter cerca de 200.

Nas imagens divulgadas, os dois reféns expressam o desejo de serem rapidamente libertos para se reunirem com familiares e criticam a gestão da crise por parte de Benjamin Netanyahu.

Abou Hamza anunciou que a Jihad Islâmica estava pronta para libertar a refém de 70 anos “por razões humanitárias e de saúde”. “Não podemos mais dar a ela os cuidados de que necessita devido à falta de combustível, eletricidade e meios básicos de sobrevivência.”

Em relação ao adolescente, disse estar disposto a libertá-lo "por razões humanitárias e por sua idade, mesmo que as prisões do ocupante estejam cheias de crianças palestinas”.

“A nossa iniciativa será implementada se as condições de segurança no terreno forem reunidas para garantir a proteção do nosso povo palestino”, disse ele, acrescentando que as vidas dos reféns podem ser postas em perigo pelos bombardeios de Israel.

O porta-voz do Exército israelense, Richard Hecht, chamou, durante uma coletiva com a imprensa, de “terrorismo psicológico do pior tipo” a difusão do vídeo.

Casa Branca anuncia "pausas" diárias

A divulgação das imagens aconteceu no mesmo dia em que a Casa Branca anunciou que Israel concordou em implementar “pausas” diárias no norte da Faixa de Gaza a partir de quinta-feira.  

Israel “começará a fazer pausas de quatro horas todos os dias em certas áreas do norte da Faixa de Gaza, que serão anunciadas com três horas de antecedência”, disse John Kirby, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Faixa de Gaza, na Casa Branca.

“Os israelenses nos disseram que não haveria operações militares nessas áreas durante a pausa e que este dispositivo começaria hoje (quinta-feira)”, acrescentou.

Joe Biden pressionou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, desde o início da guerra entre Israel e o Hamas, por estas pausas para permitir que a população civil palestina fugisse dos combates. O presidente americano garantiu que pediu a Netanyahu “uma pausa superior a três dias”.

Os combates terrestres entre o Exército de Israel e o Hamas, acompanhados de bombardeios, estão agora no norte de Gaza. Joe Biden, no entanto, estimou que “não há possibilidade” de um cessar-fogo em Gaza, falando aos jornalistas antes da sua partida para Illinois, no norte dos Estados Unidos.

Os ataques de Israel deixaram mais de 10 mil mortos na Faixa de Gaza, principalmente civis, segundo o movimento islâmico palestino.

(Com informações da AFP)

Fonte RFI



Enquete
Você é favorável ou contra o aborto?
Total de votos: 92
Notícias Agora
Google News