21/06/2024 01:29:35

Acidente
01/11/2023 18:00:00

Como mídias sociais alimentaram violência antissemita no Daguestão, na Rússia


Como mídias sociais alimentaram violência antissemita no Daguestão, na Rússia

Na manhã de domingo, detalhes de um voo que chegou mais tarde naquele dia vindo de Tel Aviv foram publicados em um canal popular do Telegram no Daguestão, uma região bastante diversa no ponto mais ao sul da Rússia.

O canal na plataforma de mídia social se chamava Morning Dagestan (Utro Dagestan). O perfil instigou os seus seguidores a “encontrar os visitantes inesperados” no principal aeroporto do Daguestão, em Makhachkala. O voo chegaria às 19h, horário local.

O Daguestão é uma república russa predominantemente muçulmana no norte do Cáucaso, onde vivem cerca de 3,1 milhões de pessoas na margem ocidental do Mar Cáspio. O governo disse que uma investigação criminal foi aberta por desordem civil no aeroporto.

Na hora marcada, centenas de jovens chegaram ao aeroporto, pressionando os seguranças.

Vídeos mostram bandeiras da Palestina sendo agitadas e cantos antissemitas são ouvidos. A polícia levou várias horas para dispersar os manifestantes. Segundo agências de notícias russas, cerca de 60 pessoas foram presas.

O protesto surpreendeu as forças de segurança. Como foi que os manifestantes conseguiram se organizar e coordenar o ato de forma tão eficaz?

A BBC rastreou as mensagens compartilhadas no Morning Daguestan. Também encontramos outros chats locais do Telegram compartilhando retórica antissemita semelhante e incitando à violência.

O Morning Daguestan é um canal anti-russo e islâmico que defende o fim do que chama de "regime de ocupação de Moscou" no Cáucaso.

O canal publica breves atualizações sobre eventos locais junto com mensagens sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia. Também publica mensagens sobre o conflito entre Israel e Palestina, com conteúdo de apoio ao Hamas, classificado como grupo terrorista pelo Reino Unido e outros países, mas não pela Rússia.

É um canal público que há poucos dias tinha 50 mil inscritos, mas desde então cresceu para mais de 65 mil.

No domingo, suas postagens forneceram instruções detalhadas para quem se reunia no aeroporto, inclusive formando uma multidão para bloquear a saída quando os passageiros que chegavam de Israel deixassem o avião.

“Permita que eles saiam um por um, amaldiçoem o Estado de Israel e depois sigam em frente!”, dizia um post. “Se eles se recusarem a amaldiçoar Israel, bloquearemos o aeroporto e não os deixaremos sair!”

A postagem também instou seus seguidores a fotografarem os rostos dos passageiros e localizarem os seus carros, a fim de compilar uma lista dos seus endereços no Daguestão.

Nos últimos dias, o mesmo canal apelou às pessoas para se juntarem a manifestações em Makhachkala e em outras cidades da região para “apoiar dois milhões de muçulmanos”.

Também compartilhou mensagens anti-semitas e apelou à população local para que se recusasse a alugar apartamentos a judeus.

A BBC encontrou incitação à violência em outros canais do Telegram com dezenas de milhares de seguidores, incluindo alguns sem aparente conteúdo político.

O Avito é um site usado principalmente para compra e venda de produtos. No seu canal encontramos mensagens dirigidas a uma família judia do Daguestão, cujos membros apoiavam Israel.

No canal Gorets, que tem quase 17 mil assinantes, houve postagens incentivando a perseguição ao povo judeu local e aos recém-chegados israelenses ao Daguestão.

Na noite de segunda-feira, o proprietário do Telegram, Pavel Durov, anunciou que “canais que incitam à violência serão bloqueados”, anexando uma captura de tela de uma postagem matinal no Daguestão. Pouco depois disso, o canal ficou indisponível.

Map shows Dagestan region in Russia

Quem está por trás de 'Morning Dagestan'?

O canal Morning Dagestan tem sido associado a Ilya Ponomarev, um antigo deputado russo que desertou para a Ucrânia em 2016 e obteve a cidadania ucraniana.

Ponomarev dirige canais de mídia social pedindo protestos na Rússia e a derrubada do regime de Vladimir Putin.

Na segunda-feira, Ponomarev disse que "há algum tempo" foi "contactado por um grupo de islâmicos do Daguestão" a quem ajudou a organizar e financiar manifestações contra a invasão russa da Ucrânia.

Embora Ponomarev tenha dito que parou de apoiar o canal em setembro de 2022, as suas próprias declarações contradizem esta afirmação.

Ele chamou o Morning Daguestan de "nosso canal" em agosto de 2023 e também se referiu ao canal como parte de suas operações, em setembro.

O governador do Daguestão, Sergey Melikov, e a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, usaram a conexão de Ponomarev com o canal para acusar a Ucrânia de orquestrar os tumultos no aeroporto de Makhachkala.

“Hoje recebemos informações absolutamente confiáveis ??de que o canal Morning Daguestan é administrado e regulamentado no território da Ucrânia por traidores”, disse Melikov.

O próprio canal postou então um comunicado, afirmando que não tem ligação com Ponomarev ou com a Ucrânia. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, condenou o ataque.

Multidão em aeroporto

CRÉDITO,REPRODUÇÃO

Dezenas de participantes da invasão foram presos, segundo agências de notícias russas

Explosão de violência anti-semita

O Daguestão é a região mais diversificada da Rússia, com dezenas de grupos étnicos indígenas - predominantemente muçulmanos, mas incluindo uma antiga comunidade judaica - vivendo lado a lado durante séculos.

Rasul Abdulkhalikov, um sociólogo do Daguestão, acredita que esta explosão de violência anti-semita pode ser atribuída às ações das autoridades regionais, que não permitiram manifestações pró-Palestina no país, apesar do apoio generalizado à causa palestina e do sentimento anti-israelense entre os jovens.

“O governador Sergey Melikov é o culpado por este sentimento ter chegado tão longe e não ter sido canalizado para outro lugar”, diz ele.

  • Olga Robinson, Maria Korenyuk and Grigor Atanesian
  • Role,BBC Verify & BBC Global Disinformation Team

 



Enquete
Se a Eleição municipal fosse agora em quem você votaria para prefeito de União dos Palmares?
Total de votos: 383
Notícias Agora
Google News