27/02/2024 11:58:06

Mundo
22/10/2023 18:00:00

Cerca de 100 mil pessoas pedem em Londres 'o fim da guerra em Gaza'


Cerca de 100 mil pessoas pedem em Londres 'o fim da guerra em Gaza'

Dezenas de milhares de pessoas marcharam em Londres na tarde deste sábado (21) para pedir "o fim da guerra em Gaza" e apoiar os palestinos, duas semanas depois que um ataque sangrento do Hamas em Israel levou a uma resposta violenta na Faixa de Gaza.

Milhares de manifestantes em pequenos grupos e famílias se reuniram na área de Marble Arch, no centro de Londres. A procissão seguiu em direção a Whitehall, a rua que leva à Downing Street [onde ficam os escritórios oficiais do primeiro-ministro britânico], cantando "Palestina livre", com dezenas de bandeiras da Palestina e cartazes com os dizeres "Gaza: parem o massacre" e "Parem a ocupação". Por volta das 14 horas (hora local), a manifestação já contava com quase 100.000 pessoas, informou a polícia de Londres no X (antigo Twitter).

"Viemos mostrar nosso apoio, porque não podemos ficar em silêncio, assistir ao noticiário e não fazer nada", disse à AFP Mariam Abdul-Ghani, uma estudante de 18 anos cuja família é de origem palestina. "Tenho primos, familiares e amigos (lá)", disse Nivert Tamraz, uma consultora de marketing de 38 anos que veio com seus filhos para mostrar a eles que "às vezes temos que lutar por nossa humanidade e não desviar o olhar". "Também tenho um amigo cuja família está em Gaza e que não consegue nem receber notícias deles, é horrível, ele não sabe se estão vivos ou mortos", acrescentou.

"Para nós, é importante estar aqui para mostrar nossa solidariedade e desafiar a ideia de que são muçulmanos contra judeus, palestinos contra israelenses", disse David Rosenberg, 65 anos, membro do London Jewish Socialist Group. "Há pessoas aqui que estão na faixa dos 20 e 30 anos, que cresceram em lares judeus tradicionais e que não suportam o que supostamente está sendo feito em seu nome", continuou.

Manifestação termina pacificamente

Mais de 1.400 pessoas foram mortas em território israelense em um ataque realizado em 7 de outubro pelo movimento islâmico Hamas. De acordo com as autoridades israelenses, a maioria das vítimas eram civis que foram baleados, queimados vivos ou mutilados.

Na Faixa de Gaza, mais de 4.300 palestinos, a maioria civis, foram mortos nos bombardeios de retaliação do exército israelense, de acordo com o Ministério da Saúde do Hamas em Gaza. Um primeiro comboio de ajuda humanitária do Egito entrou na Faixa de Gaza no sábado, aguardado desesperadamente por seus habitantes sitiados, que estão sem nada há vários dias.

Como na semana passada, a manifestação esteve sob forte vigilância, com mil policiais nas ruas e um helicóptero sobrevoando o local. Quando a procissão chegou a Whitehall, os manifestantes se dispersaram calmamente no decorrer da tarde, segundo a polícia de Londres. Outras manifestações também estavam ocorrendo no sábado em Birmingham, no centro da Inglaterra, em Dublin e Cardiff, no País de Gales, bem como em outras cidades europeias. No último sábado, milhares de pessoas já haviam se manifestado em Londres em apoio aos palestinos. Quinze pessoas foram presas por "vários delitos", informou a Scotland Yard.

(Com AFP)

Fonte RFI

 



Enquete
Se fosse fosse gestor, o que você faria em União dos Palmares: um campo de futebol ou a barragem do rio para que não falte agua na cidade?
Total de votos: 56
Notícias Agora
Google News