22/02/2024 07:16:54

Política
17/10/2023 16:00:00

Governo Lula perde popularidade nas redes com posição dúbia sobre terror

Dados da AP Exata Inteligência Digital, que mostram a aprovação do governo em tempo real, revelam tendência de queda com discurso hesitante sobre conflito


Governo Lula perde popularidade nas redes com posição dúbia sobre terror

O debate político nas redes é um misto de histeria e opiniões passionais. Não há muito espaço para a ponderação, nem para posições que sejam menos explícitas e tentem ser mais diplomáticas. Nesse contexto, a tradição da diplomacia brasileira fica defasada e, diante de opiniões que evitam para não apontar o dedo a um culpado, a opinião pública trata de posicionar os seus adversários. 

Isso tem ocorrido diante dos desdobramentos do?ataque terrorista do Hamas e da reação israelense em Gaza. A direita se posicionou muito rapidamente ao lado de Israel, buscando inclusive argumentos bíblicos para justificar de que lado está. É algo vai muito além de condenar as atrocidades cometidas pelo Hamas. É apontar que a esquerda apoia a causa árabe, que não se importa com os princípios religiosos, que está contra o ocidente e que tem sido complacente com atos de terror. Esse é o teor do embate político que vem sendo travado no Brasil acerca do episódio. 

O governo demorou para entender que a onda conservadora virou um tsunami nas redes sociais, o que converteu a hesitação oficial em desgaste de imagem. Apesar de o presidente da República ter classificado os ataques a Israel como atos “terroristas”, o fato dele não ter citado o nome do Hamas se tornou um grande alvo de ataques dos seus adversários, que criticaram?Lula, compartilhando compulsivamente imagens do terror vivido pelos israelenses. Posteriormente, o Itamaraty acabou fornecendo mais munição contra o governo, ao dizer que a classificação do Hamas como terrorista cabe à ONU e não ao país. 

O resultado foi uma queda da avaliação positiva do governo e uma alta da avaliação negativa. Dados da AP Exata Inteligência Digital, que mostram a aprovação do governo em tempo real, revelam que, desde o início do conflito, os que classificam o governo como bom/ótimo reduziram 0,6%, os que veem a gestão com regular caíram 0,1% e os que avaliam como ruim/péssimo cresceram 0,7%. Percentuais preocupantes, por indicarem uma tendência. 

Os números mostram que 40,8% aprovam o governo, 33,9% reprovam e 25,3% o veem como regular. A análise é feita por meio de inteligência artificial, com base na média das pesquisas e nos sentimentos expressados pelos internautas. 

Fonte: Agência estado 

Fonte Tribuna Bahia



Enquete
Se fosse fosse gestor, o que você faria em União dos Palmares: um campo de futebol ou a barragem do rio para que não falte agua na cidade?
Total de votos: 48
Notícias Agora
Google News