09/01/2018 17:34:53 Política

Entenda as polêmicas que cercam a nomeação de Cristiane Brasil




São Paulo – A nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para chefiar o Ministério do Trabalho pode ter sido mais um tiro que saiu pela culatra no governo de Michel Temer.

Isso porque Brasil já foi condenada pela Justiça Trabalhista (um contrassenso já que ela assumiria a pasta ligada ao assunto), citada na delação de Odebrecht e é filha de Roberto Jefferson, protagonista e primeiro delator do mensalão.

Drible nas leis trabalhistas

Sobre a condenação trabalhista: em 2016, a deputada foi condenada por não assinar a carteira de trabalho nem pagar horas extras a Fernando Fernandes, um motorista que trabalhava 15 horas por dia para ela e sua família. A decisão foi confirmada em segunda instância.

Além dessa condenação, também constam na ficha da parlamentar outro processo de um motorista, em 2017, que foi encerrado com um acordo, e acusações de uma ex-auxiliar Aline Lucia de Pinho, que afirma ter sido demitida enquanto estava de licença por acidente de trabalho (sofrido quando prestava serviços particulares para Cristiane).

Foi devido a essas acusações que o juiz federal Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), suspendeu a nomeação de Brasil no Ministério. O Planalto, no entanto, alega que a liminar é muito “frágil” e que vai manter a cerimônia de posse.

Filha de Roberto Jefferson

Mas além da condenação, Cristiane Brasil ainda carrega um estigma: ela é filha do presidente do PTB, Roberto Jefferson, que ficou conhecido no país quando virou o primeiro delator do caso do mensalão. Quando a nomeação de Cristiane foi anunciada, Jefferson chegou a dizer, emocionado, que o ato seria um “resgate” do nome da família.

Ele garante que o nome da própria filha surgiu espontaneamente durante a reunião que teve com Temer para indicar o novo ministro, e que não partiu dele. “Eu vim discutir outros nomes, estávamos pensando em três [outros deputados]. Aí roda pra cá, roda pra lá. Então se falou: ‘Roberto, e a Cristiane? Por que não?’”, afirmou.

Cristiane Brasil entrou na vida pública graças à influência do pai. Seu primeiro cargo foi na Eletronuclear, ainda no mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), e ela continuou por lá até o começo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), manutenção que é atribuída à influência de Jefferson nos dois governos. Depois, conseguiu se eleger vereadora no Rio de Janeiro, por três mandatos, e em 2014 foi eleita deputada federal.

Citada na delação da Odebrecht

A citação em uma delação da Odebrecht se refere ao seu período como vereadora, quando, segundo o executivo Leandro Andrade, da Odebrecht, ela recebeu dinheiro ilegal para a campanha de Pedro Paulo (PMDB-RJ) à prefeitura.

Segundo o delator, foram entregues 200 mil reais à então vereadora, que compareceu a um encontro, recebeu o dinheiro em espécie e o levou embora em uma mochila. Em sua defesa, Cristiane alega que o Supremo Tribunal Federal não pediu que ela fosse investigada e diz que não há provas do que o delator falou.

Suplente foi preso condenado por estupro

A nomeação de Cristiane Brasil ainda tem um efeito colateral: seu suplente na Câmara é Nelson Nahim (PSD-RJ), irmão do ex-governador Anthony Garotinho que já cumpriu pena por exploração sexual de menores.

Nahim foi preso com outras 12 pessoas, em junho de 2016, numa ação da Polícia Civil e do Ministério Público sob a acusação de participar de uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes, em Campos de Goytacazes (RJ).

As acusações que pesaram contra ele foram de estupro de vulnerável, exploração sexual de adolescentes e coação no curso do processo. Ele foi solto quatro meses depois, após habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

MSN

 

 


NOTÍCIAS RELACIONADAS


Movimento de apoio a Lula
15/01/2018 13:00:50 Política
Às vésperas de julgamento, petistas se reúnem em ato de apoio a Lula

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A 11 dias do "dia L", o "dia D" do Lula, o PT intensifica sua agenda de atos para apoiar o ex-presidente -que terá sua condenação a nove anos e meio de prisão, decretada pelo juiz Sergio Mo...



Ilustração
15/01/2018 08:08:22 Política
Reforma: base aliada trabalha no recesso para convencer indecisos

As articulações em torno da reforma da Previdência devem se intensificar nos próximos dias à medida que alguns líderes partidários estão voltando do período de férias e se aproxima a data da votação da matéria no plenário da Câmara. A ...



Deputado presidenciável Jair Bolsonaro
14/01/2018 14:20:18 Política
A semana em que as primeiras pedras atingiram a vidraça de Jair Bolsonaro

O presidenciável e deputado federal Jair Bolsonaro ainda nem assinou sua ficha de filiação ao Partido Social Liberal (PSL) e já traz três problemas para a sua futura legenda. O primeiro é o de conter a debandada de filiados. Um grupo ...



Politicos tiveram prisões relaxadas
14/01/2018 14:13:09 Política
Lava Jato tem 17 réus soltos após segunda condenação

Ao menos 17 réus da Lava Jato já tiveram suas condenações confirmadas no Tribunal Regional Federal, como pode acontecer com o ex-presidente Lula no próximo dia 24, mas ainda não foram presos devido a recursos na própria corte. Desde o início ...



16/01/2018
Visitas: 68164486
Visitas De Hoje: 4926


ENQUETE

De 0 a 5 que nota você dá a atual administração municipio
Total de votos: 1023


Tribuna União 2007 - 2018
© Copyrigth - atribunadeuniao@gmail.com