10/11/2017 07:21:26 Justiça

Nova Lei Maria da Penha: Temer veta concessão de medida protetiva pela polícia




EBC - O presidente Michel Temer publicou com vetos, no Diário Oficial da União, a lei que altera a Lei Maria da Penha, que foi criada com o objetivo de aumentar o rigor das punições sobre crimes domésticos, em especial a homens que agridem física ou psicologicamente uma mulher. Foi vetado o artigo que permitiria à autoridade policial conceder medidas protetivas de urgência em casos em que houver "risco atual ou iminente à vida ou à integridade física e psicológica da mulher em situação de violência doméstica e familiar o de seus dependentes".Na nova legislação, está previsto o direito da mulher vítima de violência doméstica e familiar a ter atendimento policial especializado, ininterrupto e prestado preferencialmente por servidores do sexo feminino. Além disso, apresenta procedimentos e diretrizes sobre como será feita a inquirição dessa mulher vítima de crime.

Entre as diretrizes está a de salvaguardar a integridade física, psíquica e emocional da mulher vítima desse tipo de violência; a garantia de que em nenhuma hipótese ela ou suas testemunhas tenham contato direto com investigados, suspeitos ou pessoas a eles relacionados; e a "não revitimização" do depoente, de forma a evitar "sucessivas inquirições sobre o mesmo fato nos âmbitos criminal, civel e administrativo".

Com relação aos procedimentos relativos ao interrogatório, prevê que seja feito por profissional especializado e em "recinto especialmente projetado para esse fim, com equipamentos próprios e adequados à idade da mulher.

A lei propõe ainda que seja priorizada a criação de Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deams), de Núcleos Investigativos de Feminicídio e de equipes especializadas para o atendimento e a investigação das violências graves contra a mulher.

Veto

A justificativa para o veto do artigo que dava à polícia conceder medidas protetivas é de que algumas alterações à lei original invadiriam "competência afeta ao Poder Judiciário", além de "estabelecer competência não prevista para as polícias civis".

De acordo com o texto vetado, nessas situações a autoridade policial deveria fazer um comunicado ao juiz sobre a situação, no prazo de 24 horas. Caso as medidas protetivas não fossem "suficientes ou adequadas", caberia à autoridade policial fazer uma representação ao juiz visando à aplicação "de outras medidas protetivas ou pela decretação da prisão do agressor".

Diversas entidades já haviam se manifestado contrárias à nova lei, em especial ao artigo que ampliava o poder da polícia na aplicação da Lei Maria da Penha. Entre as críticas às alterações propostas pelo Legislativo está a de que atribuições que caberiam ao Poder Judiciário passariam a ficar a cargo das delegacias de polícia.

Na primeira versão da lei, caberia ao Judiciário a determinação de medidas e à polícia orientar a vítima sobre medidas protetivas, registrar ocorrência e apoiá-la para buscar seus pertences em casa. As organizações avaliaram que, se a mudança fosse efetivada, só seria possível pedir ao juiz novas medidas protetivas caso o delegado de polícia entendesse que fosse necessário.

 

 

 


NOTÍCIAS RELACIONADAS


Ex-governaor Teotonio Vilela Filho
12/12/2017 07:37:59 Justiça
Justiça Federal acata denúncia contra ex-governador Teotonio Vilela Filho

Gazetaweb – O Juiz federal de Alagoas Ricardo Luiz Barbosa de Sampaio Zagallo acatou, nesta segunda-feira (11), a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-governador de Alagoas Teotonio Vilela Filho (PSDB). Com a decisão, e...



Ilustração
11/12/2017 13:03:54 Justiça
Ministério Público apura suposto nepotismo em União dos Palmares

Gazetaweb Globo – O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de União dos Palmares, investiga suposta contratação de familiares do prefeito Areski Damara de Omena Freitas Júnior para exercer cargos políticos, com...



Pleno do TJ
10/12/2017 18:53:44 Justiça
Órgãos priorizam combate à corrupção em Alagoas e TJ condena 62 por improbidade

Gazetaweb - Na última quarta-feira (6), fez dez anos que os alagoanos acordaram com a prisão de deputados estaduais na "Operação Taturana", desmontando um esquema que desviou cerca de R$ 300 milhões dos cofres públicos na Assembleia Legislativa...



Acusado de assassinar capitão é condenado
05/12/2017 09:44:17 Justiça
Acusado de assassinar capitão da PM é condenado a mais de 17 anos de prisão (Vídeo)

Acusado de assassinar o capitão da Polícia Militar, Rodrigo Moreira Rodrigues, em abril de 2016, Agnaldo Lopes de Vasconcelos foi condenado, nesta segunda-feira (4), a 17 anos e três meses de prisão, a ser cumprido em regime inicialmente fechado....



12/12/2017
Visitas: 67562169
Visitas De Hoje: 18966


ENQUETE

De 0 a 5 que nota você dá a atual administração municipio
Total de votos: 703


Tribuna União 2007 - 2017
© Copyrigth - atribunadeuniao@gmail.com