24/06/2022 19:46:09

Coronavirus
14/05/2022 18:00:00

Coreia do Norte fala em seis mortes e milhares de infecções por Covid

Agência estatal afirma que surgiram mais 350 mil casos de "uma febre misteriosa", da qual mais de 160 mil pessoas se recuperaram


Coreia do Norte fala em seis mortes e milhares de infecções por Covid

A Coreia do Norte, país que não administrou uma única vacina contra a Covid-19, informou nesta quinta-feira (12) que seis pessoas morreram em decorrência do vírus e que milhares foram infectadas, um dia depois de o regime relatar a detecção dos primeiros casos de coronavírus desde que a pandemia começou.

A agência KCNA afirmou que o líder norte-coreano Kim Jong-un visitou o centro nacional de emergência epidêmica e disse que, "desde o final de abril, uma febre de origem desconhecida se espalhou de maneira explosiva por todo o país, resultando em cerca de 350 mil casos de febre em pouco tempo, dos quais cerca de 162.200 foram tratados com sucesso".

Kim acrescentou que, apenas no dia anterior, 18 mil novos casos dessas febres foram detectados e que "até agora cerca de 187 mil pessoas foram colocadas em quarentena e estão sendo tratadas e seis morreram".

A Coreia do Norte confirmou ontem os primeiros casos de coronavírus no país após testar um grupo de pessoas em Pyongyang, nas quais foi detectada a variante Ômicron, e decretou “emergência máxima".

O próprio Kim pediu em uma reunião do Politburo que "todas as cidades e condados do país confinem completamente suas áreas".

A situação é preocupante pelo grau de contágio da variante detectada e pelo fato de o país, isolado do exterior desde 2020, ter rejeitado a doação de quase 5 milhões de doses de vacinas do consórcio Covax, não ter aplicado uma única dose e sequer ter um plano nacional de vacinação.

Soma-se a isso a escassez de recursos médicos e uma capacidade de testagem considerada insuficiente (até março o regime informava ter testado apenas 64.207 pessoas, 0,5% de sua população).

A informação sobre mortes e possíveis infecções vem horas depois de a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, ter afirmado em entrevista coletiva que os EUA atualmente não têm planos de entregar vacinas à Coreia do Norte.

Psaki também destacou que Pyongyang — que, horas depois de anunciar seus primeiros casos de Covid-19, lançou mísseis de curto alcance — parece estar se preparando para um teste nuclear, o primeiro desde 2017, que poderia acontecer este mês para coincidir com a visita do presidente americano, Joe Biden, a Seul, para onde viajará no dia 20 de maio.

r7 notícias



Enquete
Se posicione a favor ou contra o uso da macanha mesmo para fins medicinais
Total de votos: 41
Google News