17/05/2022 14:17:22

Acidente
07/01/2022 08:00:00

Destaques desta sexta-feira, 7 de janeiro


Destaques desta sexta-feira, 7 de janeiro

Variante Ômicron prevalece em amostras no Brasil

Segundo o levantamento do Instituto Todos pela Saúde (ITpS), a nova cepa Ômicron do SARS-CoV-2 prevalece em 92,6% das amostras analisadas no país. De 2.453 amostras coletadas entre 26 de dezembro e 1º de janeiro, 337 continham o coronavírus, e em 312 delas há indicação de infecção pela Ômicron. Em meio ao avanço da nova cepa no país e da polêmica da vacinação infantil, os hospitais de São Paulo já registram alta de diagnósticos e de atendimentos de crianças com a COVID-19. Conforme a Folha, não há dados nacionais sobre a alta da infecção no público infantil, mas ela já é observada em hospitais e consultórios médicos. Entretanto, o Brasil confirmou mais 171 mortes e 45.717 casos de COVID-19, totalizando 619.730 óbitos e 22.395.322 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.
 

Exército: militares devem se vacinar e não divulgar notícias falsas

Novas diretrizes para o combate à COVID-19 foram encaminhadas aos militares nesta quinta-feira (6). Segundo o documento assinado pelo comandante do Exército brasileiro, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, os militares são orientados a se vacinar se quiserem retornar às funções presenciais, seguir o distanciamento, usar máscaras e estão proibidos de espalhar notícias falsas sobre a pandemia. A medida destina-se a restaurar todas as atividades administrativas e operacionais, o que apenas é possível com o avanço da imunização anti-COVID-19, segundo o documento. As regras atualizadas foram divulgadas pelo site O Antagonista.
 
Comandante do Exército brasileiro, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira - Sputnik Brasil, 1920, 07.01.2022
Comandante do Exército brasileiro, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira

Situação atual no Cazaquistão: autoridades impõem nível vermelho de ameaça terrorista

Em meio aos protestos em massa no Cazaquistão, em todo o país foi imposto o nível "vermelho crítico" de ameaça terrorista. Ao mesmo tempo, o presidente Kassym-Jomart Tokaev disse hoje (7) que a ordem constitucional no país foi praticamente restaurada. Além disso, a administração do presidente afirmou que as manifestações tinham começado de forma pacífica, antes de bandidos armados assumirem a liderança. "No início, os protestos eram pacíficos [...] Mas, depois, as vozes dos manifestantes pacíficos foram afogadas em apelos de provocadores por violência. [...] Bandidos e terroristas passaram a liderar a multidão", disse à emissora Khabar 24 o primeiro vice-chefe da administração, Dauren Abaev. O Ministério do Interior do país informou entretanto que retomou o controle de todas as prefeituras regionais (akimates).
 
Perdas dos confrontos: Mais de 3.000 pessoas foram detidas durante os tumultos no país, enquanto 26 indivíduos armados foram eliminados em confrontos com as forças de segurança, segundo o Ministério do Interior. Outros 18 criminosos foram feridos. Além disso, dois oficiais da Guarda Nacional do Cazaquistão foram mortos na quarta-feira (5), segundo foi confirmado hoje (7). De acordo com os dados da Guarda Nacional, durante os protestos no país foram danificados cerca de 50 equipamentos militares, oito dos quais não podem ser reparados
.
Oficiais de segurança na cidade de Nursultan, em meio aos protestos no Cazaquistão, 6 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 07.01.2022
Oficiais de segurança na cidade de Nursultan, em meio aos protestos no Cazaquistão, 6 de janeiro de 2022

Alarmados com ações da China, EUA e Japão vão colaborar mais na área da defesa

Nesta sexta-feira (7), os Estados Unidos e o Japão articularam sua forte preocupação com o crescente poderio da China e se comprometeram a trabalhar em conjunto para deter as tentativas de desestabilização da região. Após o encontro virtual em formato dois a dois de seus chanceleres e ministros da Defesa, foi emitido um comunicado conjunto, no qual os dirigentes manifestaram sua preocupação com as tentativas de Pequim de "minar a ordem baseada em regras", tentativas que colocam "desafios políticos, econômicos, militares e tecnológicos à região e ao mundo". "Eles resolveram trabalhar em conjunto para deter e, se for necessário, responder às atividades desestabilizadoras na região". Não obstante o Japão manter estreitos laços econômicos com a China, há uma crescente preocupação em Tóquio sobre um possível movimento de Pequim contra Taiwan.
 
Chanceler do Japão, Yoshimasa Hayashi, e encarregado de negócios dos EUA na embaixada japonesa, Raymond F. Greene, assinam acordos EUA-Japão em Tóquio, 7 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 07.01.2022
Chanceler do Japão, Yoshimasa Hayashi, e encarregado de negócios dos EUA na embaixada japonesa, Raymond F. Greene, assinam acordos EUA-Japão em Tóquio, 7 de janeiro de 2021

Cuba condena novas restrições dos EUA contra seus funcionários

O chanceler cubano, Bruno Rodríguez, condenou as restrições de vistos que os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira (6) contra oito altos funcionários de Havana. "O governo dos EUA persiste no mau hábito de tentar impor sua vontade a outros governos através de medidas coercitivas unilaterais", ressaltou o chefe da diplomacia cubana em sua conta no Twitter. Ontem (6), o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, anunciou a imposição de restrições de vistos a oito funcionários da ilha, sem mencionar seus nomes, tendo apontado que estavam relacionados com as detenções de manifestantes nos protestos de 11 de julho passado. O governo cubano qualifica essas manifestações como ações desestabilizadoras organizadas a partir dos Estados Unidos.
 
br.sputniknews.com


Enquete
Dos nomes elencandos abaixo, quais seus candidatos a deputado (Estadual e Federal)
Total de votos: 60
Google News