21/10/2021 03:22:50

Religião
28/08/2021 15:00:00

Mesmo sob chuva, católicos reverenciam Nossa Senhora dos Prazeres em carreata

Em homenagem à padroeira de Maceió, cortejo saiu da Catedral Metropolitana


Mesmo sob chuva, católicos reverenciam Nossa Senhora dos Prazeres em carreata

A chuva que caía na capital alagoana, nesta sexta-feira (27), não impediu os fiéis de comparecerem à carreata em homenagem à Nossa Senhora dos Prazeres, padroeira de Maceió. Em carro aberto, a imagem da santa católica saiu da Catedral Metropolitana e seguiu até o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, na parte alta.

É o segundo ano que, em vez da tradicional procissão, uma carreata é realizada pela Arquidiocese de Maceió. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a mudança foi necessária para evitar as aglomerações características das procissões e seguir a orientação dos especialistas neste momento de crise sanitária.

Os fiéis percorreram a parte central da capital alagoana durante toda a tarde, passando por diversos bairros. A celebração terminou com o retorno do cortejo à Catedral Metropolitana de Maceió e uma missa foi realizada às 19h.

Zefinha Viana da Silva, de 80 anos, devota de Nossa Senhora dos Prazeres há duas décadas, lamenta não ter um veículo para acompanhar a carreta e conta que veio sozinha até à Catedral Metropolitana para exercer sua devoção. Chegou cedo, ainda pela manhã, e diz que ficou emocionada com a quantidade de pessoas.

“Eu não vou acompanhar a procissão este ano, mas todo ano eu tô aqui. Venho sério, todo ano, essa é a primeira vez que não vou acompanhar a procissão, porque não tenho nenhum conhecido pra me dar uma carona”, lamenta a senhora, que tem promessas a pagar.

“Tenho promessa pra pagar, mas vai ficar pro ano que vem. Minha mãe teve um problema de coração e eu pedi a graça à Nossa Senhora e ela me deu. Já pedi pra minha menina também, ela sempre me serviu”, afirma.

Dona Zefinha, com os olhos fixos na imagem de Nossa Senhora dos Prazeres, elogia andor em que a santa foi exposta e conta que um familiar teve uma forma grave de Covid e, ela acredita, a fé o salvou.

“Também pedi pelo marido da minha neta, que teve esse negócio aí. Quase que ele se vai, mas não foi porque me apeguei com ela e ela ajudou. Mas eu prometo que no próximo ano eu vou acompanhar a procissão e espero que eles estejam aqui também”, diz Dona Zefinha.

O Diácono Genison Melo comemora a participação dos fiéis e diz que as celebrações deste ano tiveram um significado diferente, tendo em vista que no ano passado, ele conta, o momento foi mais restrito, levando em consideração a situação da pandemia.

“Mesmo que nós ainda estejamos passando por esse momento difícil, a participação dos fiéis, obedecendo, claro, todos os protocolos, foi muito boa. As pessoas vieram rezar, foram motivadas, por causa desse período distantes, a terem essa experiência do amor de Deus. Desde a missa das 6 horas, a participação foi excepcional”, diz o religioso.

 

Dona Zefinha, de 80 anos, disse que as promessas para pagar ficarão para o próximo ano, quando acredita que poderá acompanhar a procissão - Foto: Ailton Cruz

A turista Lurdes Brasil, de 61 anos, veio de Belém do Pará para visitar Maceió. Ela diz que tirou um tempinho da programação de passeios para sentir a emoção da homenagem à Nossa Senhora dos Prazeres.

“Coincidiu de ser esse momento de festa e eu vim sentir essa emoção também”, diz a devota, que diz que a chuva só aumentou a experiência. “Com chuva, com sol, não importa, estaríamos aqui do mesmo jeito”, finaliza Dona Lurdes.

Para os que não puderam acompanhar a celebração presencialmente, a Arquidiocese de Maceió transmite trechos da carreata em seu canal no Youtube, onde também será disponibilizado um vídeo com a história da devoção à padroeira de Maceió.

https://www.gazetaweb.com/ 



Enquete
Você concorda com a mudança da feira livre de União dos Palmares para a margem da BR-104?
Total de votos: 324
Google News