10/04/2021 15:29:41

Geral
07/02/2021 00:00:00

Blockchain 50: as empresas que mais usaram a tecnologia no último ano


Blockchain 50: as empresas que mais usaram a tecnologia no último ano

Antes considerados refúgios de criminosos e traficantes de drogas, o bitcoin e o blockchain tornam-se cada vez mais populares. O aumento da moeda digital em 2020 chamou a atenção de executivos C-level em todo o mundo, já que as empresas não são as únicas a empregarem a tecnologia subjacente ao bitcoin para executar tarefas como reconciliar faturas e verificar a proveniência do produto.

Dezenas de organizações estão mantendo o bitcoin como um ativo de tesouraria. Em sua terceira edição, o Blockchain 50 traz empresas líderes no emprego da tecnologia de contabilidade distribuída com receita ou avaliação de, pelo menos, US$ 1 bilhão. Este ano, 21 delas estreiam na lista, incluindo o maior banco do mundo, o Banco Industrial e Comercial da China, e quatro outros da Ásia. Eles ocupam os lugares que antes pertenciam a companhias norte-americanas como Facebook, Google, Amazon e Ripple, que, apesar de ainda estarem ativas no blockchain, tiveram presença discreta nos últimos 12 meses.

Veja, a seguir, as empresas que mais se destacaram no bitcoin e no blockchain no último ano:

A.P. Moller-Maersk

Origem: Copenhagen, Dinamarca
Plataformas de blockchain: TradeLens, Hyperledger Fabric e IBM Blockchain
Principal executivo: Michael White, CEO da GTD Solution, uma subsidiária da Maersk dedicada ao desenvolvimento da plataforma TradeLens

O blockchain do gigante dinamarquês de transporte e logística está digitalizando informações da sua cadeia de suprimentos. Desde seu lançamento, em agosto de 2018, já esteve em cerca de 50% dos navios porta-contêineres ao redor do mundo. Em 2020, processou 1 bilhão de remessas, 30 milhões de contêineres e 14 milhões de documentos, mais que o dobro do ano anterior. A Maersk também firmou parceria com a Microsoft para processar seguro marítimo usando blockchain.

Ant Group

Origem: Hangzhou, China
Plataformas de blockchain: AntChain, Hyperledger Fabric e Quorum
Principal executivo: Geoff Jiang, VP do Ant Group e presidente do grupo de negócios de tecnologia inteligente

O spin-off do Alibaba tem mais de 50 aplicativos de blockchain em desenvolvimento em sua plataforma, a AntChain. Um exemplo notável é o OpenChain, lançado em 2020 para permitir que pequenas e médias empresas utilizem suas tecnologias de blockchain e contratos inteligentes como uma forma de reduzir custos. Até agora, mais de 6 mil usuários assinaram 100 mil contratos inteligentes, o que facilitou 400 milhões de transações.

Baidu

Origem: Pequim, China
Plataformas de blockchain: Baidu Xuperchain e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Wei Xiao, gerente geral do departamento de sistemas blockchain

O gigante chinês de pesquisas e sua fintech, a Du Xiaoman Financial, introduziram mais de 20 soluções de blockchain. Uma delas, a Libra Chain, está servindo como infraestrutura para os três tribunais de internet da China que lidam com disputas de direitos autorais e comércio eletrônico por meio de litígios virtuais. Até o momento, mais de 35 milhões de evidências eletrônicas foram apresentadas no Tribunal de Internet de Pequim.

BHP

Origem: Melbourne, Austrália
Plataformas de blockchain: MineHub e Hyperledger Fabric
Principais executivos: Michiel Hovers, diretor de vendas e marketing do grupo, e Sundeep Singh, diretor de compras do grupo.

A gigante da mineração está usando blockchain para digitalizar várias operações, incluindo rastreamento de atributos de ESG (ambiental, social e governança corporativa) e verificação de identidade de fornecedores. A BHP concluiu seu primeiro comércio de blockchain de minério de ferro com a China Baowu Steel em junho de 2020.

Binance

Origem: Ilhas Cayman
Plataformas de blockchain: Bitcoin, Binance Chain e várias outras
Principais executivos: CZ (Changpeng Zhao), CEO, e Yi He, cofundador e CMO

 

A maior bolsa de criptomoeda do mundo lista 184 ativos tokenizados e suporta quase uma centena de blockchains. O volume total de negócios atingiu US$ 2 trilhões no ano passado. Em julho, a Binance lançou um cartão de débito Visa que converte automaticamente os ativos criptográficos dos usuários em moeda local e será aceito por 70 milhões de comerciantes em todo o mundo.

Boeing

Origem: Chicago, Illinois
Plataformas de blockchain: Go Direct e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Amir Husain, CEO da SkyGrid

 

Seu braço de capital de risco, a HorizonX, contribuiu com fundos para o desenvolvimento do SkyGrid, um sistema de controle de tráfego aéreo habilitado para blockchain para rastrear e se comunicar com drones. A iniciativa já foi aprovada pela FAA para fornecer aos pilotos de drones autorização de baixa altitude e está disponível como um aplicativo gratuito para iPad. O Skygrid cria um registro permanente de dados, recurso importante para a entrega de pacotes, inspeções industriais e, algum dia, táxis voadores autônomos.

Cargill

Origem: Wayzata, Minnesota
Plataformas de blockchain: Quorum, Hyperledger Grid e Ethereum
Principal executivo: Petya Sechanova, CEO da Covantis

A gigante agrícola mergulhou no blockchain pela primeira vez em 2017, quando usou o Hyperledger Sawtooth, da Intel, para rastrear perus em sua cadeia de suprimentos pouco antes do dia de Ação de Graças. No ano passado, tornou-se um dos seis parceiros (como ADM e Louis Dreyfus) na plataforma Covantis, que usa o blockchain Quorum baseado em Ethereum para criar um registro imutável de cada etapa do processo de movimentação de cargas de grãos e sementes oleaginosas ao redor do mundo.

Carrefour

Origem: Massy, França
Plataformas de blockchain: IBM Blockchain e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Emmanuel Delerm, chefe global de plataformas de blockchain, merchandising e cadeia de suprimentos B2B

A rede de supermercados francesa está monitorando mais de 30 linhas de produtos na cadeia de compra, incluindo ovos criados em fazendas, salmão norueguês e queijo Rocamadour. Esses produtos são marcados com um QR code que dá mais informações aos clientes sobre a origem dos alimentos. O Carrefour afirma que o recurso impulsionou as vendas e pretende expandi-lo para 100 linhas de produtos até o final do ano que vem.

China Construction Bank

Origem: Pequim, China
Plataformas de blockchain: BC Trade 2.0, Hyperledger Fabric e Hyperchain
Principal executivo: Tan Hao, vice-presidente de tecnologia financeira do CCB

O banco construiu o BC Trade 2.0, onde 75 instituições financeiras podem identificar rapidamente tomadores de empréstimos de risco, bem como competir para oferecer taxas mais baixas. Até agora, a plataforma facilitou US$ 134 bilhões em empréstimos para 5.800 usuários, incluindo fabricantes e empresas comerciais. É importante ressaltar que a plataforma elimina o Swift, a plataforma de mensagens interbancárias que era um intermediário obrigatório antes do blockchain.

CME Group

Origem: Chicago, Illinois
Plataformas de blockchain: Bitcoin e Ethereum
Principal executivo: Tim McCourt, chefe global e diretor de investimentos alternativos

A bolsa de derivados começou a oferecer contratos futuros de Bitcoin em dezembro de 2017. Em janeiro, adicionou opções sobre futuros do Bitcoin e agora está adicionando futuros de Ether. Até agora, 6 mil contas individuais estão negociando derivados de Bitcoin na bolsa.

Coinbase

Origem: São Francisco, Califórnia
Plataformas de blockchain: Bitcoin, Ethereum e diversos outros
Principal executivo: Brian Armstrong, CEO e cofundador

A maior bolsa de criptomoedas dos Estados Unidos tem mais de 43 milhões de contas individuais em mais de 100 países. Atualmente, tem US$ 20 bilhões em criptografia sob custódia, em comparação aos US$ 6 bilhões de abril de 2020. A Coinbase é a primeira emissora de cartões de débito que permite aos clientes usar criptomoeda em qualquer lugar onde o Visa seja aceito e retirar dinheiro de qualquer caixa eletrônico. O cartão Coinbase se tornou disponível para clientes de 29 países europeus no ano passado e agora está sendo implementado para residentes nos Estados Unidos.

CONA Services

Origem: Atlanta, Geórgia
Plataformas de blockchain: Baseline, Ethereum e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Andrei Semenov, diretor de inovação

Propriedade das 12 maiores engarrafadoras da Coca-Cola da América do Norte, a CONA (Coke One North America, em inglês) está transferindo pedidos e remessas entre as engarrafadoras para o blockchain e incluirá fornecedores externos de matérias-primas, latas de alumínio e muito mais.

Credit Suisse

Origem: Zurique, Suíça
Plataformas de blockchain: Enterprise Ethereum e Paxos Settlement Service
Principal executivo: Emmanuel Aidoo, chefe de mercados de ativos digitais

O gigante bancário suíço está usando o Paxos Settlement Service para liquidar as negociações de ações listadas nos Estados Unidos com a corretora Nomura’s Instinet. A tecnologia blockchain permite que os participantes liquidem negociações diretamente uns com os outros, sem o intermediário tradicional, permitindo a operação em um único dia.

Daimler

Origem: Stuttgart, Alemanha
Plataformas de blockchain: Hyperledger Indy, Hyperledger Fabric, Corda, Ocean Protocol, Ethereum e MoveX
Principal executivo: Jonas von Malottki, CEO da Daimler Protics GmbH

A fabricante de veículos de luxo Mercedes-Benz está usando blockchain para agilizar diversos processos, desde a produção até uma recente arrecadação de fundos.

Depository Trust & Clearing Corporation (DTCC)

Origem: Nova York, Nova York
Plataformas de blockchain: Axcore, Hyperledger Fabric, Corda, DAML e Ethereum
Principais executivos: Rob Palatnick, chefe global de pesquisa de tecnologia e inovação, presidente do conselho administrativo da Hyperledger; Jennifer Peve, chefe global de inovação empresarial

O gigante da compensação responsável por US$ 2,2 quatrilhões em negociações anuais está reimaginando seus serviços. Depois de mover US$ 11 trilhões em derivados de crédito para um blockchain, anunciou o Project Ion para rastrear ações negociadas em mercados públicos e o Project Whitney, que faz o mesmo para as negociações de ações pré-IPO nos mercados primário e secundário.

Digital Currency Group

Origem: Nova York, Nova York
Plataformas de blockchain: Bitcoin, Ethereum, XRP, Zcash e diversas outras
Principal executivo: Barry Silbert, CEO e fundador

O investidor mais prolífico em startups de criptomoeda, com um portfólio de 170 empresas, também possui duas das maiores criptomoedas, a plataforma de negociação Genesis, com 1 mil clientes institucionais, incluindo a gigante de pagamentos Square, e a Grayscale, que administra US$ 27 bilhões em ativos em 10 trusts, todos negociados na bolsa.

Equinor

Origem: Stavanger, Noruega
Plataformas de blockchain: Data Gumbo e Vakt
Principal executivo: Anders Opedal, CEO

A petroleira colocou 10 projetos de petróleo e energia eólica no blockchain, incluindo seu novo megacampo no Mar do Norte.

Fidelity

Origem: Boston, Massachusetts
Plataforma de blockchain: Bitcoin
Líder principal: Tom Jessop, presidente da Fidelity Digital Assets

O gigante dos fundos mútuos tem ajudado investidores institucionais a armazenarem e negociarem Bitcoin desde o início de 2019. Hoje, a Fidelity Digital Assets tem 100 clientes, incluindo o Kingdom Trust, que permite aos indivíduos manter Bitcoin em suas contas de aposentadoria. Também entrou com a papelada para um Fundo de Índice Bitcoin, mas mantém os detalhes em segredo.

Honeywell

Charlotte, Carolina do Norte
Plataformas de blockchain: Hyperledger Fabric e GoDirect Trade
Principal executivo: Lisa Butters, gerente geral da GoDirect Trade

O conglomerado industrial transferiu mais de 2 milhões de documentos da aviação para um livro de blockchain, tornando-os totalmente acessíveis para sua base de clientes. A companhia também opera o mercado baseado em blockchain GoDirect Trade, que lista US$ 4 bilhões em peças de aviação usadas e atraiu mais de 10 mil usuários.

HSBC

Origem: Londres, Inglaterra
Plataformas de blockchain: Quorum, Corda, Ethereum, Hyperledger Fabric e OneConnect
Principal executivo: Vinay Mendonça, chefe global de gerenciamento de produtos e propostas, comércio global e finanças de contas a receber; Mark Williamson, chefe global da FX Everywhere

O banco britânico está usando blockchain para aumentar a eficiência dos fluxos de câmbio entre suas agências globais. Desde 2018, 1,9 milhão de negociações com um valor nominal de US$ 1,7 trilhão foram liquidadas em seu livro.

IBM

Armonk, Nova York
Plataformas de blockchain: IBM Blockchain e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Alistair Rennie, gerente geral da IBM Blockchain

Uma das primeiras a investir seriamente em blockchain, a companhia desenvolveu o o novo aplicativo Digital Health Pass, que permite que as organizações verifiquem o teste de Covid-19 de um indivíduo e os resultados de temperatura. Clientes como operadores de estádios podem escolher seus próprios critérios, incluindo se uma pessoa foi vacinada.

ICBC

Pequim, China
Plataformas de blockchain: ICBC Chain, Ethereum, Hyperledger Fabric e Tendermint
Principal executivo: Guangqing Gong, chefe da equipe de pesquisa e desenvolvimento em tecnologia inovadora

O maior banco do mundo agora tem 30 aplicativos de blockchain que permitem aos clientes rastrearem desde sua cobertura de saúde até como suas doações filantrópicas são gastas.

ING Group

Origem: Amsterdã, Holanda
Plataformas de blockchain: Corda, Quorum, Ethereum, Hyperledger Fabric e Hyperledger Indy
Principal executivo: Mariana Gomez de la Villa, diretora de programa de tecnologia de registros distribuídos

Um dos primeiros a adotar a tecnologia blockchain, o banco agora lidera um grupo de outras instituições financeiras que trabalham para ajudar a autenticar ativos criptográficos para que cumpram os padrões globais de combate à lavagem de dinheiro.

JPMorgan Chase

Origem: Nova York, Nova York
Plataformas de blockchain: Quorum e Ethereum
Principal executivo: Umar Farooq, CEO da Onyx

O banco assinou com outras 425 instituições financeiras, incluindo o Deutsche Bank e o Banorte do México, para usar sua rede de blockchain Liink, com o objetivo de acelerar as transações interbancárias. A tecnologia ajudará os bancos a emitirem menos cheques em papel e a movimentarem mais transações online.

Kakao

Origem: Jeju-si, Coreia do Sul
Plataforma de blockchain: Klaytn
Principal executivo: Jason Han, CEO da Ground X

O aplicativo de mensagens dominante da Coreia do Sul, o KakaoTalk, com 52 milhões de usuários, tem uma unidade blockchain, a Ground X, que desenvolveu um sistema público com sua própria criptomoeda, a klay. Até agora, 370 mil usuários verificados do KakaoTalk abriram carteiras digitais, sendo que 10% deles usam a carteira todos os dias.

LVMH

Origem: Paris, França
Plataformas de blockchain: AURA, Quorum e Ethereum
Principal executivo: Franck Le Moal, CIO

O conglomerado de luxo está usando blockchain para rastrear produtos e combater a falsificação de marcas como Louis Vuitton e Bulgari. Quase 10 milhões de itens de luxo foram registrados na plataforma, criada com a Prada e a Cartier.

Microsoft

Origem: Redmond, Washington
Plataformas de blockchain: Quorum e Ethereum
Principal executivo: Jagannathan Venkatesan, gerente de engenharia de software

Um de seus aplicativos de blockchain, desenvolvido com a EY, gerencia direitos de conteúdo e royalties. Os editores de jogos Xbox e Ubisoft foram os primeiros a usar o novo sistema, que faz pagamentos de royalties automaticamente. O tempo normal de processamento pode passar dos 45 dias.

Microstrategy

Origem: Tysons Corner, Virginia
Plataforma de blockchain: Bitcoin
Principal executivo: Michael Saylor, CEO

A empresa de software de análise de negócios deu início à tendência de armazenar Bitcoin em títulos do tesouro corporativo para compensar a inflação, comprando mais de US$ 1 bilhão em criptomoedas em 2020. O Morgan Stanley comprou, recentemente, uma participação de quase 11% na companhia.

NBA

Origem:Nova York, Nova York
Plataforma de blockchain: Flow
Principal executivo: Adrienne O’Keeffe, vice-presidente para parcerias globais

O mercado Top Shot da NBA está ajudando a liga a lucrar com o boom de memorabilia dos esportes. Usando o blockchain de seu parceiro Dapper Labs, a NBA está vendendo pacotes de “momentos”, semelhantes a cartões colecionáveis, mas em formato digital. Mais de 400 mil bilhetes foram vendidos até agora, incluindo um apresentando um bloco LeBron James que foi negociado por US$ 100 mil.

Nornickel

Origem: Moscou, Rússia
Plataforma de blockchain: Hyperledger Fabric
Principal executivo: Jeanine Hightower-Sellitto, CEO da Atomyze

O maior produtor mundial de níquel e paládio de alto teor está testando uma plataforma de tokenização de ativos industriais por meio da startup Atomyze, com sede em Connecticut, da qual é parcialmente proprietária.

Novartis

Origem: Basel, Suíça
Plataformas de blockchain: Ethereum, Sovrin, Hyperledger Fabric, Corda, DAML e Quorum
Principal executivo: Liz Theophille, diretora de transformação tecnológica

A farmacêutica é um dos principais membros da PharmaLedger, um consórcio de blockchain na União Europeia que busca informações incorretas ou desatualizadas nas bulas – um dos principais motivos para recalls. Junto com a Merck e a Universidade Politécnica de Madri, a Novartis construiu um aplicativo que faz a varredura de embalagens de medicamentos e solicita, em tempo real, aos fabricantes para obter informações atualizadas que podem ser acessadas pelos pacientes por meio de códigos de leitura. A PharmaLedger também usa a tecnologia para combater medicamentos falsificados e do mercado clandestino.

Oracle

Origem: Austin, Texas
Plataformas de blockchain: plataforma Oracle Blockchain e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Frank Xiong, vice-presidente do grupo de desenvolvimento de produtos blockchain

A gigante dos bancos de dados lançou seu blockchain proprietário em 2018. Seu projeto mais maduro é a Global Shipping Business Network (GSBN), um consórcio de transporte marítimo que agora tem 300 clientes, incluindo gigantes de transporte de contêineres e operadores portuários.

PayPal

Origem: São José, Califórnia
Plataformas de blockchain: Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash e Litecoin
Principal executivo: Dan Schulman, CEO

O pioneiro no processamento de pagamentos está buscando uma posição de liderança em um futuro no qual os ativos digitais e as moedas do banco central serão abundantes.

Ping An

Origem: Shenzhen, China
Plataformas de blockchain: FiMAX
Principal executivo: Frank Lu, gerente geral de pesquisa e soluções DLT

A gigante de seguros e serviços financeiros tem mais de 30 aplicativos de blockchain, incluindo um projeto de cadeia de suprimentos que passa pelo porto de Tianjin e uma plataforma de financiamento na província de Guangdong, ambos operando por meio de sua subsidiária fintech OneConnect.

Samsung Group

Origem: Seul, Coreia do Sul
Plataformas de blockchain: Nexledger
Principal executivo: Jeanie Hong, head do centro de blockchain

O braço de TI do conglomerado, o Samsung SDS, construiu uma série de projetos de blockchain para governos locais, hospitais e aeroportos. Isso inclui um serviço único de processamento de reclamações médicas que permite que os pacientes apresentem suas queixas em um centro de recepção de hospital, um quiosque ou por meio de um telefone celular.

Sappi

Origem: Joanesburgo, África do Sul
Plataformas de blockchain: GreenTrack e Hyperledger Fabric
Principal executivo: Krelyne Andrew, gerente geral de sustentabilidade

O produtor de celulose sul-africano fez parceria com a fabricante indiana de tecidos ecológicos Birla Cellulose no GreenTrack, um blockchain que rastreia produtos de tecido de florestas sustentáveis, passando pela celulose e pelas fábricas. Mais de 250 parceiros da cadeia de suprimentos, incluindo Walmart e Marks & Spencer, agora usam o GreenTrack para verificar a sustentabilidade das roupas que vendem.

Saudi Aramco

Origem: Dhahran, Arábia Saudita
Plataformas de blockchain:Ethereum e Hyperledger
Principal executivo: Yousef A. Ulyan, vice-presidente de TI

Em 2019, a Aramco investiu US$ 6 milhões na Data Gumbo, que construiu uma plataforma de blockchain que visa integrar milhares de sensores em campos de petróleo e refinarias, para melhor verificar o desempenho dos ativos e reconciliar contratos inteligentes com os fornecedores da Aramco. No ano passado, a Saudi Aramco Energy Ventures investiu US$ 5 milhões na Vakt, uma plataforma de blockchain para o comércio de cargas de petróleo e derivados.

Signature Bank

Origem: Nova York, Nova York
Plataformas de blockchain:Signet e Ethereum
Principal executivo: Frank Santora, diretor de pagamentos

O banco de Nova York que tem US$ 64 bilhões em ativos está se especializando em atender clientes de criptografia institucionais, fornecendo maneiras rápidas e simples para eles depositarem dinheiro em suas contas de negociação de criptografia por meio de sua plataforma baseada em Ethereum, conhecida como Signet. Em 2020, os depósitos de clientes criptográficos aumentaram de US$ 2 bilhões para mais de US$ 10 bilhões.

Square

Origem: São Francisco, Califórnia
Plataformas de blockchain: Bitcoin
Principal executivo: Steve Lee, gerente de projeto da Square Crypto

Dois anos atrás, a Square começou a permitir que os usuários do Cash App, seu serviço de transferência de dinheiro ponto a ponto e banco digital, comprassem Bitcoin. O aplicativo cresceu para 30 milhões de usuários ativos. A Square gerou US$ 1,6 bilhão em receita e US$ 32 milhões em lucro bruto de Bitcoin no trimestre encerrado em 30 de setembro. Em outubro, a Square disse que investiu US$ 50 milhões, ou 1% de seus próprios ativos totais, em Bitcoin.

State Farm

Origem: Bloomington, Illinois
Plataformas de blockchain:Quorum e Ethereum
Principais executivos: Mike Fields, executivo de inovação e RED Labs; Robert Yi, vice-presidente sênior da P&C Claims

Para as seguradoras que atendem a reclamações, o processo de sub-rogação – ou seja, determinar qual apólice e seguradora são responsáveis pelo pagamento de cada cliente – pode levar meses. A State Farm e a seguradora USAA costumavam enviar uma à outra uma média de mais de 200 cheques por dia. Mas desde que começaram a usar o blockchain Subrogation Net Settlement no ano passado, o número de cheques trocados foi reduzido em 80%.

Stone Ridge

Origem: New York, New York
Plataformas de blockchain:Bitcoin, Ethereum, XRP, Litecoin e Bitcoin Cash
Principal executivo: Robert Gutmann, cofundador da Stone Ridge e CEO da NYDIG

Por meio da subsidiária New York Digital Investment Group, a Stone Ridge se tornou um dos maiores investidores institucionais em Bitcoin. Em outubro, a empresa diz que fez da criptomoeda seu principal ativo de tesouraria e, em dezembro, revelou à Forbes que havia comprado 20.000 Bitcoins, agora avaliados em mais de US$ 700 milhões. No geral, a empresa agora tem US$ 4 bilhões em ativos digitais.

Swisscom

Origem: Berna, Suíça
Plataformas de blockchain: Hyperledger Fabric, Hyperledger Ares, Hyperledger Indy e Corda
Principal executivo: Roger Wüthrich-Hasenböhler, diretor digital

A gigante das telecomunicações tem 11 aplicativos de blockchain em vários estágios, incluindo a startup de emissão de ações criptográficas Daura e a empresa de custódia de criptografia Custodigit, uma joint venture com o banco de ativos digitais Sygnum. Em novembro passado, a empresa se juntou a um investimento de US$ 30 milhões no Fireblocks, que ajuda as instituições a criar, armazenar e comercializar ativos digitais.

Tech Mahindra

Origem: Pune, Índia
Plataformas de blockchain: Hyperledger Fabric
Principal executivo: Rajesh Dhuddu, líder de prática da blockchain e cibersegurança

O braço de tecnologia do conglomerado indiano Mahindra Group desenvolveu várias tecnologias de blockchain. Em julho de 2019, lançou um aplicativo baseado na tecnologia que agora está ajudando 500 milhões de clientes de celulares a gerenciarem suas preferências para evitar chamadas de spam.

Tech Mahindra

Origem: Pune, Índia
Plataformas de blockchain: Hyperledger Fabric
Principal executivo: Rajesh Dhuddu, líder de prática da blockchain e cibersegurança

O braço de tecnologia do conglomerado indiano Mahindra Group desenvolveu várias tecnologias de blockchain. Em julho de 2019, lançou um aplicativo baseado na tecnologia que agora está ajudando 500 milhões de clientes de celulares a gerenciarem suas preferências para evitar chamadas de spam.

Telefónica

Origem: Madri, Espanha
Plataformas de blockchain: TrustOS e Hyperledger Fabric
Principal executivo: José Luis Núñez, diretor global para blockchain

A companhia espanhola de telecomunicação usa blockchain para rastrear 4 milhões de dispositivos de equipamentos domésticos. Ela também investiu na Zamna, uma plataforma de dados habilitada para blockchain que ajuda as companhias aéreas a verificarem a identidade dos passageiros antes de chegar ao aeroporto, e se uniu à IBM para usar o blockchain para gerenciar chamadas internacionais.

Tencent

Origem: Shenzhen, China
Plataformas de blockchain: FISCO BCOS
Principal executivo: Howe Zheng, vice-presidente da Tencent Financial Technology

O gigante da tecnologia construiu o blockchain que é usado pela autoridade fiscal de Shenzhen para emitir cerca de 10 milhões de faturas. Além disso, fundou o WeBank, cuja plataforma de blockchain FISCO BCOS (Be Credible, Open & Secure) é usada por mais de 2 mil empresas e inclui a WeIdentity, que ajudou a processar mais de 17 milhões de passagens entre Macau e a China continental. Outro aplicativo blockchain da Tencent, o WeSign, diminui o tempo de processamento da arbitragem e é usado em tribunais chineses para registrar evidências.

Vanguard

Origem: Valley Forge, Pennsylvania
Plataformas de blockchain: Symbiont Assembly
Principal executivo: Warren Pennington, diretor do grupo de gestão de investimentos da Vanguard

Em junho, o rei dos fundos de índices anunciou uma iniciativa para lidar com o processo, muitas vezes confuso, de manutenção de registros para títulos lastreados em ativos – à medida que os empréstimos são reembalados e vendidos de uma parte à outra, informações importantes de crédito podem ser perdidas. A Vanguard testou um novo produto – com a participação do Citi, State Street e BNY Mellon – para armazenar as informações do empréstimo em um livro compartilhado e inalterável.

Visa

Origem: Foster City, Califórnia
Plataformas de blockchain: Bitcoin e Ethereum
Principal executivo: Cuy Sheffield, head de criptografia

A galinha dos ovos de ouro da Visa é sua vasta rede de pontos de acesso – cerca de 70 milhões de lojas. Agora que os bancos centrais estão começando a cunhar moedas digitais, a companhia está realizando extensa pesquisa e desenvolvimento para que o dinheiro digital possa fluir com segurança (fora do alcance dos fraudadores). A empresa solicitou 159 patentes relacionadas a blockchain para usos como tornar transações mais seguras e biometria para verificar a identidade. Em dezembro, anunciou uma integração com a stabe coin USDC para acelerar os pagamentos internacionais entre empresas.

VMware

Origem: Palo Alto, Califórnia
Plataformas de blockchain: VMWare Blockchain
Principal executivo: Brendon Howe, vice-presidente e gerente geral de blockchain

Conhecida por desenvolver a tecnologia por trás da criptomoeda Diem (anteriormente Libra), do Facebook, a VMware lançou sua própria plataforma de blockchain com foco corporativo em novembro. A Broadridge Financial Solutions já está sendo usada para permitir a automação e digitalização de acordos de recompra. A bolsa de valores australiana trouxe a VMware em 2019 para trabalhar em uma plataforma de pós-negociação para substituir seu sistema de um quarto de século.

Walmart

Origem: Bentonville, Arkansas
Plataformas de blockchain: Hyperledger Fabric
Principais executivos: Tejas Bhatt, diretor sênior de inovação global de segurança alimentar; Archana Sristy, diretora sênior de plataformas de blockchain da Walmart Global Tech

A Food Traceability Initiative, que ajuda o Walmart a detectar contaminação e outros problemas de segurança alimentar, agora rastreia quase 500 itens como verduras frescas, café, frutos do mar e carne. No ano passado, auxiliou o FDA em seis investigações sobre segurança alimentar e foi capaz de fornecer informações detalhadas sobre a fonte original de contaminação potencial em apenas uma hora. Este ano, o Walmart conduzirá um piloto com a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA para rastrear alimentos importados.

Forbes



Enquete
Em pleno pico da pandemia, você acha correto as aulas presenciais em União dos Palmares
Total de votos: 340
Google News