25/02/2021 21:43:30

Geral
23/01/2021 19:00:00

Grávidas não devem se afastar do pré-natal por medo da pandemia diz obstreta

Obstetra alerta que acompanhamento médico é essencial para um parto seguro, tanto para as mães quanto para os bebês


Grávidas não devem se afastar do pré-natal por medo da pandemia diz obstreta

O medo da contaminação pelo coronavírus, aliado ao isolamento social, necessário para conter a pandemia, fez com que tratamentos e acompanhamentos médicos fossem interrompidos ou prejudicados. Para as gestantes, as dúvidas sobre o impacto do vírus podem acarretar num acompanhamento pré-natal incompleto ou até mesmo que ele nem aconteça.

O Ministério da Saúde recomenda que o pré-natal seja composto por, pelo menos, seis consultas, que fazem parte das medidas de saúde preventivas, evitando que, tanto a mãe quanto o bebê, desenvolvam patologias ou problemas graves que poderiam ser evitados com um diagnóstico precoce.

De acordo com a obstetra Silvia Melo, professora do Centro Universitário Tiradentes (Unit), o acompanhamento pré-natal é vital para que a gravidez não tenha um desfecho ruim, afetando a mãe e ao bebê. Ela destaca que as consultas e exames durante a gestação fazem parte das medidas de saúde preventivas. No pré-natal é possível detectar patologias como a vulvovaginite, infecções urinárias, diabetes, hipertensão, sífilis e HIV.

“Descobrindo mais precocemente, temos como atuar para minimizar os efeitos danosos, evitando, por exemplo, que o bebê nasça prematuro ou com sequelas dessas doenças, até mesmo evitar a mortalidade logo após o nascimento. No caso de uma gestante com sífilis, e que não recebeu os devidos cuidados na gravidez, o bebê terá que permanecer no hospital por 10 a 15 dias após o nascimento, tomando medicamentos para evitar efeitos da doença e, ainda assim, corre o risco de ter alguma sequela”, afirma a obstetra, lembrando que o objetivo do pré-natal é prevenir, para que o bebê seja mais sadio, podendo crescer e se desenvolver.

Silvia Melo reforça que, no caso de mães portadoras de HIV, se tomarem o coquetel de medicamentos o risco de transmitir o vírus para o bebê cai para 0,8%, quando sem a medicação o índice de transmissão é cerca de 60%.
Vale lembrar, ainda, que as ações preventivas no pré-natal incluem a vacinação contra hepatite B, tétano e influenza, orientação nutricional (que começa com a ginecologista, mas pode e deve ser melhor instruída por um nutricionista), a prevenção da má formação do sistema nervoso central, com o uso de suplementos, a preparação para a amamentação, além de cuidados odontológicos, já que algumas gestantes costumam reclamar de dores nos dentes, sem esquecer do cuidado psicológico.

Covid-19

A obstetra destaca também que, para evitar contaminações pela Covid-19, as recomendações dadas às gestantes são as mesmas da população em geral: isolamento social, uso constante de máscaras e boa higienização pessoal e das mãos, com água e sabão e/ou álcool em gel.

Atendimento gratuito

Os atendimentos de Ginecologia e Obstetrícia estão disponíveis gratuitamente para a população na clínica médica da Unit, em Cruz das Almas, podendo ser agendados de segunda a sexta-feira, pelos telefones: 3311-3209 ou 98886-6911.

A Policlínica da Unit oferece, ainda, consultas em Clínica Médica, Dermatologia, Infectologia, Endocrinologia, Medicina da Família, Pediatria, Cardiologia, Reumatologia, Ortopedia e Psiquiatria.

O Dia Mais



Enquete
Você é favorável a privatização do SAAE de União dos Palmares?
Total de votos: 314
Google News