15/12/2019 00:44:25

Polícia
05/11/2019 14:00:00

PF investiga pernambucano por vazamento de tema da redação do Enem


PF investiga pernambucano por vazamento de tema da redação do Enem
O Ministério da Educação (MEC) trabalha com a possibilidade de que o vazamento de uma imagem da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tenha ocorrido em Pernambuco.

Uma foto da prova com o tema da redação foi publicada na internet e circulou nas redes sociais. “Isso aparentemente aconteceu em Pernambuco e a gente já está chegando ao nome da pessoa”, disse o ministro da Educação Abraham Weintraub em vídeo publicado no Twitter. Segundo Weintraub, o caso está sendo investigado pela Polícia Federal. O ministro adiantou que deve se tratar de um fiscal a quem chamou de “mau elemento” e disse que ele “se arrependerá de ter vindo ao mundo”. 
 
Em nota, o Inep confirmou que a imagem é real, mas afirmou que ela foi divulgada após a realização dos procedimentos de segurança, quando os estudantes já estavam todos nas salas de aplicação. Portanto, não haverá prejuízo aos participantes, segundo o MEC. “Todos os procedimentos de segurança já haviam sido realizados, a prova já havia sido distribuída para todo mundo e alguém titou uma foto e colocou nas redes. Isso não compromete em nada, segue normal”, disse o ministro.

Em nota à imprensa, a Polícia Federal de Pernambuco informou que o caso é recente e precisa de uma "análise mais aprofundada dos fatos". A PF afirmou, ainda, que o posicionamento oficial sobre o caso deve partir de Brasília.

Pelas regras do exame, é proibido o uso de aparelhos eletrônicos no local de aplicação do Enem, como celulares. Eles devem ser desligados e colocados dentro do envelope porta-objetos que cada candidato recebe. O uso desses objetos leva à eliminação do candidato.
 
Cerca de 3,9 milhões compareceram ao local de prova. A abstenção de 23%, segundo o ministro, foi a menor da história. Há registro de 376 pessoas eliminadas, por exemplo, por problemas de comportamento e por se recusar a fazer a análise biométrica. “Foi muito tranquilo. Eu esperava até mais probleminhas operacionais”, disse Weintraub.

Ministro garantiu que responsável por vazamento será punido. (Foto: Luis Fortes/MEC .)  
Ministro garantiu que responsável por vazamento será punido. (Foto: Luis Fortes/MEC .)
DITADURA 
Ao comentar a ausência de questões no Enem sobre aditadura militar (1964-1985), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que o objetivo da prova “não é dividir, nem polemizar, nem doutrinar”.
 
Levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo mostrou que a primeira edição do Enem sob o governo Jair Bolsonaro (PSL) foi também a primeira em ao menos dez anos que não trouxe nenhuma questão relativa à ditadura nas provas de ciências humanas e linguagens. “A gente já pode começar falando em regime militar, ditadura militar. Essa é uma discussão que eu acho que a gente não vai caminhar para nenhum lugar”, respondeu o ministro ao ser questionado sobre o assunto. Weintraub afirma que, antes da realização da prova, não teve acesso a nenhuma questão.
 
“E se não caiu [questões sobre a ditadura militar], eu não participei das escolhas das questões”. Em linha com o discurso do ministro, o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Alexandre Lopes, declarou que a prova buscou cobrir toda a base curricular do Ensino Médio sem gerar polêmicas.
 
Os gabaritos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão divulgados no dia 13 de novembro. A nota final, porém, demorará ainda. Isso por que o sistema de correção da prova, que segue a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI), não atribui um valor fixo para cada questão. Os resultados individuais ainda não têm previsões de data.
 
Diário de Pernambuco


Enquete
Você concorda com a redução de horário das delegacias de Alagoas
Total de votos: 53
Google News