14/12/2019 09:25:16

Cultura
31/10/2019 00:00:00

Imprensa Oficial divulga programação da 9ª Bienal Internacional do Livro


Imprensa Oficial divulga programação da 9ª Bienal Internacional do Livro

Agência Alagoas

compartilhar:

A Imprensa Oficial Graciliano Ramos e seus parceiros anunciaram a programação coletiva da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, a ser realizada de 2 a 10 de novembro, na sede do Arquivo Público de Alagoas, no bairro Jaraguá, em Maceió.

Todos os dias, os visitantes encontrarão lançamentos de livros, sessão de autógrafos, palestras, apresentações culturais, exposições, além de atividades infantis, como contação de histórias e pinturas faciais. Exceto as oficinas, com vagas limitadas, todos os eventos oferecidos são gratuitos e abertos ao público.

“Estamos trazendo 23 grandes lançamentos para esta edição da Bienal. De um lado, há os novos nomes da literatura contemporânea do Estado, selecionados a partir de editais públicos. Do outro, há autores do passado, com o resgate de suas memórias, por meio da publicação de diversos livros que há muito tempo estavam fora de catálogo – alguns deles, inclusive, já eram considerados raros no mercado livreiro”, afirma Dagoberto Omena, diretor-presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

De acordo com o executivo, a Bienal Internacional do Livro de Alagoas será uma excelente oportunidade para conhecer o que há de melhor na produção literária alagoana, assim como para a aquisição de obras publicadas pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos em valores ainda mais acessíveis.

“Exceto os lançamentos, todas as publicações da editora estarão com descontos bastante atrativos, que variam de 30% a 50%”, ressalta. Os livros com preços promocionais serão comercializados nos dois estandes da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, situados no Armazém Uzina e na sede do Arquivo Público de Alagoas, onde a editora concentrará todas as suas ações institucionais.

Lançamentos de peso

Na noite de 2 de novembro, a partir das 19h, a Imprensa Oficial Graciliano Ramos reservou três lançamentos impactantes para sua estreia na Bienal do Livro: a nova edição do romance O Anjo Americano, de Luiz Gutemberg; edições dos três livros que compõem a obra completa de Carlos Moliterno; e quatro edições de clássicos não ficcionais da literatura alagoana, pela nova coleção da editora chamada Raízes das Alagoas.

Publicado pela primeira vez em 1995, pela Companhia das Letras, O Anjo Americano é considerado um clássico da literatura alagoana, sendo uma obra cultuada e debatida no meio acadêmico e literário local. Graças ao vigor de sua narrativa, vários críticos traçam um paralelo entre o seu enredo e os romances Ninho de Cobras, de Lêdo Ivo, e Angústia, de Graciliano Ramos, afirmando que se tratam de obras fundamentais para se compreender Alagoas e suas mazelas sociais.

O romance O Anjo Americano tem como ponto de partida a história do misterioso assassinato de uma jovem alagoana no Rio de Janeiro. A obra que apresenta uma rica descrição da Maceió dos anos 1940 – cenário de uma base militar americana, durante a Segunda Guerra Mundial –, culmina numa contundente crítica política e comportamental da sociedade da época.  Na noite de lançamento da segunda edição da obra pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, o autor, que mora em Brasília, estará presente para a sessão de autógrafos.

Já a obra completa do crítico e poeta alagoano Carlos Moliterno será outro destaque da noite do dia 2 de novembro. Depois de décadas de ausência, a Imprensa Oficial Graciliano Ramos trará novas edições de dois livros de poesia do autor, Desencontro e A Ilha e do ensaio literário Notas sobre poesia moderna de Alagoas.

Outro ponto alto no primeiro dia de lançamentos é a apresentação da coleção Raízes das Alagoas, um projeto editorial desenvolvido pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e a Editora da Universidade Estadual de Alagoas (Eduneal). 

“Trata-se de uma coleção formada por obras seminais sobre Alagoas, escritas por estudiosos alagoanos. A partir dela, promoveremos o resgate de diversos títulos que há muitos anos se encontram fora de circulação, mas que continuam sendo referência para estudantes e pesquisadores”, explica Patrycia Monteiro, coordenadora editorial da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, contando que inicialmente serão lançados quatro títulos: Os negros muçulmanos nas Alagoas – Os malês, de Abelardo Duarte;  História de Anadia, de Nicodemos Jobim; Formação de Alagoas Boreal, de Dirceu Lindoso; e Metamorfose das oligarquias, de Douglas Apratto Tenório.

Ações infantis

Domingo, dia 3 de novembro, a partir das 16h, será realizado o lançamento dos livros infantis da coleção Coco de Roda. No total, serão lançados cinco novos títulos da coleção, que, com esta edição, totaliza 31 historinhas infantis que homenageiam a cultura e as tradições de Alagoas. Durante o evento, será realizada contação de histórias, pintura de rosto e distribuição de bolas, além de sessão de autógrafos dos autores.

Com escritores e ilustradores selecionados a partir de editais públicos, a próxima safra da Coco de Roda vai apresentar os seguintes títulos: Doce Riacho, escrito por Gianinna Bernardes e ilustrado por Chris K; Os balões de Nise, escrito por Natália Agra e ilustrado por Daniel Aubert; Marianinha foi ao mar, de autoria de Marivaldo Omena e ilustração de Beatriz Montenegro; Ebe em busca do mestre guerreiro da Canafístula, escrito por Janu e ilustrado por Diego Malta; e Carnaval sem fim, de Tiago Amaral e com ilustração de Ingrit Lima.

Vale ressaltar que todos os dias, no período da manhã e da tarde, a equipe da Imprensa Oficial Graciliano Ramos vai oferecer atividades infantis para todas as crianças que visitarem a Bienal do Livro de Alagoas. As escolas interessadas podem realizar agendamento pelo número (82) 3315-8300.

 

Grandes homenagens

A obra do escritor Romeu de Avelar também será resgatada durante a Bienal Internacional do Livro de Alagoas. A Imprensa Oficial vai lança na noite de 6 de novembro, a partir das 19h, novas edições de três livros que há décadas se encontram esgotadas: o romance histórico Calabar – Interpretação Romanceada do tempo da invasão holandesaTântalos, livro de contos, o primeiro da carreira literária do autor; e Os Devassos, obra lançada em 1923, censurada e confiscada pela polícia carioca, por “ofender” a moral e os bons costumes da época. A noite de lançamento contará com a presença de Rosa Maria Morais de Souza, filha de Romeu de Avelar, e outros membros da família.

Na quinta-feira (7), é a vez dos jornalistas Mário Lima e Wellington Santos lançarem a biografia Lauthenay, o Quixote do Esporte Nacional. Além de sessão de autógrafos com os autores, haverá uma homenagem ao jornalista esportivo Lauthenay Perdigão. Na mesma noite, também serão lançados o livro Gonzaga Leão – o poeta e a praça, organizado por Edilma Acioli Bomfim, em homenagem ao poeta falecido no ano passado; O Papa – Pedra fundamental da Igreja, de Monsenhor Pedro Teixeira; e Avaliação dos impactos ambientais do turismo na Rota Ecológica dos Milagres, de Thiara Oliveira.

Na sexta-feira (6), o escritor Fernando Fiúza lança Livramento, seu mais novo livro de poesia, o sexto de sua carreira literária. A obra, editada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, traz 60 poemas inéditos, construídos ao longo de décadas, que pode ser um considerado uma síntese da obra do poeta alagoano.

Novas caras

A cada ano, a Imprensa Oficial Graciliano Ramos revela novos talentos a partir da seleção pública de autores pelo Edital Para Publicação de Obras Literárias – um processo democrático e transparente de escolha de livros de autores alagoanos ou radicados em Alagoas que representam o que há de melhor na produção contemporânea do Estado. Nesta Bienal do Livro, três novos escritores estarão realizando o sonho de publicar as primeiras obras de suas carreiras. São eles: Lucas Litrento, autor do livro de poesias Os meninos iam pretos porque iam; Danilo Farias, autor do romance Papéis Mortos; e Lucas Fonseca, autor do romance Dora.

Além deles, três autores veteranos também foram selecionados para serem lançados durante a programação da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, na Bienal do Livro de Alagoas. José Geraldo W. Marques, autor do livro de poesias Prelúdios & Delírios; Marlon Silva, autor do livro de contos Monossílabo; e o imortal da Academia Alagoana de Letras Benedito Ramos, autor do romance regional Nadi.

Exposição

No estande da Imprensa Oficial, no Arquivo Público, os visitantes ainda poderão conferir a exposição Querido Diário, feita em parceria com o curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas(Ufal) e sob a organização da professora Dra. Rosaline Mota.

A mostra reúne fatos representativos de cada uma das 11 décadas de existência do Diário Oficial do Estado de Alagoas (Doeal). E, como grande destaque, apresenta a máquina de escrever de um dos principais expoentes da Literatura brasileira, o escritor Graciliano Ramos, diretor da empresa na década de 30, bem como Relatórios de Gestão assinados por ele e publicados no Diário.

Também compõem a exposição monóculos com fotografias que retratam o trabalho de restauração, preservação e digitalização dos documentos do Doeal, feitos por pesquisadores da Ufal.



Enquete
Você concorda com a redução de horário das delegacias de Alagoas
Total de votos: 51
Google News