19/08/2019 02:41:59

Especial
25/07/2019 15:30:00

Alfredo Gaspar diz que não é momento de armar palanques

Procurador disse que não nasceu para ser subserviente, nem comandado por ninguém


Alfredo Gaspar diz que não é momento de armar palanques

O procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça disse nesta quarta-feira, 24, que a melhor política é a da prestação de serviço eficiente.

Apontado nos bastidores políticos alagoanos como um dos fortes pré-candidatos a prefeito de Maceió, Gaspar foi entrevistado pelo  radialista França Moura e, quando questionado se estaria deixando o Ministério Público para entrar na política, disse que  “as eleições municipais de 2020 não deveriam estar em discussão neste momento”.

O procurador-geral declarou que seu foco atualmente é concluir o segundo mandato na Procuradoria Geral de Justiça.

“Fazemos a boa política na prestação do serviço. No Ministério Público, nós cuidamos da cidadania”, afirmou, completando que está fiscalizando os serviços públicos, como a saúde, educação, segurança e transporte. Segundo o procurador, não é o momento de “armar palanques”. “Antecipar as eleições mostra que os políticos não estão fazendo o trabalho que deveria estar sendo feito”, considerou.

Baseado em comentários e manifestações de apoio nas redes sociais, o radialista insistiu na pergunta política e Alfredo Gaspar declarou:

“Não é algo que parei para pensar, nem é algo que tenha tirado meu sono. Estou com uma missão e ainda no primeiro ano do meu segundo mandato como Procurador-Geral de Justiça. Agora eu sou um homem de aceitar desafios”.

Gaspar, contudo, afirmou que não será subserviente a qualquer grupo político. “Eu não nasci para ser subserviente nem comandado por ninguém, a não ser Deus. Agora eu também não sou arrogante, nem prepotente, ao longo da minha vida, para não saber conversar com alguém buscando o bem comum”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça disse nesta quarta-feira, 24, que a melhor política é a da prestação de serviço eficiente.

Apontado nos bastidores políticos alagoanos como um dos fortes pré-candidatos a prefeito de Maceió, Gaspar foi entrevistado pelo  radialista França Moura e, quando questionado se estaria deixando o Ministério Público para entrar na política, disse que  “as eleições municipais de 2020 não deveriam estar em discussão neste momento”.

O procurador-geral declarou que seu foco atualmente é concluir o segundo mandato na Procuradoria Geral de Justiça.

“Fazemos a boa política na prestação do serviço. No Ministério Público, nós cuidamos da cidadania”, afirmou, completando que está fiscalizando os serviços públicos, como a saúde, educação, segurança e transporte. Segundo o procurador, não é o momento de “armar palanques”. “Antecipar as eleições mostra que os políticos não estão fazendo o trabalho que deveria estar sendo feito”, considerou.

Baseado em comentários e manifestações de apoio nas redes sociais, o radialista insistiu na pergunta política e Alfredo Gaspar declarou:

“Não é algo que parei para pensar, nem é algo que tenha tirado meu sono. Estou com uma missão e ainda no primeiro ano do meu segundo mandato como Procurador-Geral de Justiça. Agora eu sou um homem de aceitar desafios”.

Gaspar, contudo, afirmou que não será subserviente a qualquer grupo político. “Eu não nasci para ser subserviente nem comandado por ninguém, a não ser Deus. Agora eu também não sou arrogante, nem prepotente, ao longo da minha vida, para não saber conversar com alguém buscando o bem comum”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça disse nesta quarta-feira, 24, que a melhor política é a da prestação de serviço eficiente.

Apontado nos bastidores políticos alagoanos como um dos fortes pré-candidatos a prefeito de Maceió, Gaspar foi entrevistado pelo  radialista França Moura e, quando questionado se estaria deixando o Ministério Público para entrar na política, disse que  “as eleições municipais de 2020 não deveriam estar em discussão neste momento”.

O procurador-geral declarou que seu foco atualmente é concluir o segundo mandato na Procuradoria Geral de Justiça.

“Fazemos a boa política na prestação do serviço. No Ministério Público, nós cuidamos da cidadania”, afirmou, completando que está fiscalizando os serviços públicos, como a saúde, educação, segurança e transporte. Segundo o procurador, não é o momento de “armar palanques”. “Antecipar as eleições mostra que os políticos não estão fazendo o trabalho que deveria estar sendo feito”, considerou.

Baseado em comentários e manifestações de apoio nas redes sociais, o radialista insistiu na pergunta política e Alfredo Gaspar declarou:

“Não é algo que parei para pensar, nem é algo que tenha tirado meu sono. Estou com uma missão e ainda no primeiro ano do meu segundo mandato como Procurador-Geral de Justiça. Agora eu sou um homem de aceitar desafios”.

Gaspar, contudo, afirmou que não será subserviente a qualquer grupo político. “Eu não nasci para ser subserviente nem comandado por ninguém, a não ser Deus. Agora eu também não sou arrogante, nem prepotente, ao longo da minha vida, para não saber conversar com alguém buscando o bem comum”, afirmou.

éassim



Enquete
Em sua avaliação que nota de 0 a 10 você dá ao Governo Bolsonaro
Total de votos: 518
Google News