20/09/2019 02:35:59

Internacional
23/06/2019 15:00:00

Mídia revela quem impediu Trump de atacar Irã em resposta à derrubada do drone dos EUA


Mídia revela quem impediu Trump de atacar Irã em resposta à derrubada do drone dos EUA
Ilustração

O presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu um conselho de um dos seus apresentadores favoritos, Tucker Carlson, antes de cancelar o ataque ao Irã, informou o New York Times.

Segundo o jornal, enquanto conselheiros de Trump apelavam à realização de um ataque militar contra o Irã em resposta à derrubada de um drone norte-americano que, segundo Teerã, violou o espaço aéreo iraniano, Carlson disse ao presidente que o uso da força seria "loucura".

O apresentador da Fox News, o adorado canal de televisão de Trump, supostamente o convenceu que políticos linha dura no seu governo não tinham os melhores interesses do presidente no coração, e que se Trump desencadear uma guerra com Teerã, ele poderia dizer adeus às suas chances de ser reeleito em 2020.

'Guerras no estrangeiro terminaram em fracasso sombrio para os EUA'

A edição apontou que Carlson não foi a única pessoa que apelou à razão de Trump, mas não especificou de quem foi a opinião que convenceu o presidente a cancelar o ataque no último momento.

Tendo cancelado o ataque, o presidente dos EUA supostamente ligou sua TV na Casa Branca para assistir à abertura do programa de Carlson, onde o apresentador afirmou que "as guerras no estrangeiro terminaram em fracasso sombrio para os EUA".

Mesmo antes de a decisão de Trump sobre o ataque ainda não ter sido tornada pública, Carlson elogiou Trump por resistir à intervenção militar no Irã.

"As mesmas pessoas que nos atraíram para o atoleiro do Iraque há 16 anos estão exigindo uma nova guerra, esta com o Irã. O presidente, para seu grande crédito, parece estar cético em relação a isso. Muito cético", disse Carlson na tela.

Ataque cancelado

Anteriormente, Donald Trump escreveu no Twitter que em 20 de junho ele suspendeu o ataque a três instalações iranianas dez minutos antes do tempo planejado.

Isso ocorreu após o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica ter afirmado que os militares iranianos haviam derrubado um drone Northrop Grumman RQ-4 Global Hawk dos EUA que teria invadido seu espaço aéreo na província de Hormozgan, perto do estreito de Ormuz.

O incidente ocorreu em meio à escalada de tensão entre os EUA e o Irã. Washington acusa Teerã de ter atacado dois petroleiros nas proximidades do estreito de Ormuz em 13 de junho. Após este episódio, o presidente dos EUA, Donald Trump, decidiu enviar mais 1.000 soldados para o Oriente Médio.

https://br.sputniknews.com



Enquete
Dos nomes abaixo qual você escolheria votar para Prefeito?
Total de votos: 5483
Google News