20/07/2019 15:34:45

Sinistro
10/06/2019 07:20:00

Advogado escapa da morte depois de atropelar cavalo na Br-104; acidente aconteceu em Murici


Advogado escapa da morte depois de atropelar cavalo na Br-104; acidente aconteceu em Murici
Dr. José Nildo

O atropelamento de um animal na altura do quilômetro 60 da Br-104, imediações do Motel A2 em Murici, cidade da Zona da Mata alagoana, deixou o advogado José Nildo Soares ferido na mão direita e o seu irmão José Milton Soares Lopes assustado.

Os dois viajavam no veículo de propriedade do advogado de placas PCR 2204 de Graranhuns-PE quando por volta das 20h encontraram uma égua atravessando a Br-104 sentido São José da Laje onde residem.

- O impacto foi muito forte. Talvez se a égua tivesse caído dentro do carro nós teríamos morte instantânea, disse o advogado Josenildo Soares, mais conhecido no mundo jurídico como Dr Nildo da Laje. O que chamou a atenção do advogado no momento do acidente é que no choque com o animal de grande porte o airbag do carro não abriu. "Feri minha mão sustentando o párabrisa que estilhaçou todo e caiu praticamente no colo da gente", disse o advogado ainda em choque por ter escapado com vida e ter apenas ferimentos leves.

O blog teve acesso a uma série de registros fotográficos e constatou que o airbag do automóvel onde se encontrava o advogado juntamente com seu irmão não abriu para proteger os dois no momento do impacto.

"O choque foi tão grande que a barra de direção do veículo empenou. Uma situação surreal o airbag não ter aberto para nos proteger, numa falha do equipamento tido como altamente seguro e com a finalidade de proteger os ocupantes do carro", lamentou José Nildo Soares.

Minutos depois do acidente, agentes da PRF estiveram no local para realizar os primeiros levantamentos e conduzir o advogado e seu irmão para a unidade hospitalar Dagoberto Omena, localizado em Murici, próximo de onde aconteceu o acidente.

Com a parte dianteira do veículo totalmente comprometida, o veículo foi conduzido até a residência de Dr Nildo, em São José da Laje, num caminhão reboque já que o carro não oferecia mais condições de segurança para locomoção devido aos danos causados pelo animal depois do acidente.

Para o agente da Polícia Rodoviária Federal(PRF), Armando, "esse trecho onde aconteceu o atropelamento com o animal representa perigo, com registro de vítimas fatais, isso até imediações da extinta usina São Simeão, depois na Laginha a mesma situação até imediações do posto da PRF", comentou.

 

REDAÇÃO:JBTNOTICIAS

FONTE: BLOG A PALAVRA



Enquete
Em sua avaliação que nota de 0 a 10 você dá ao Governo Bolsonaro
Total de votos: 195
Google News