24/05/2019 01:05:07

Polícia
17/04/2019 11:30:00

Mais de 30 mulheres denunciam que foram vítimas de abuso sexual por ex-assessor parlamentar


Mais de 30 mulheres denunciam que foram vítimas de abuso sexual por ex-assessor parlamentar
Ana Lucia Nogueira delegada

Nesta terça-feira, dia 16, doze pessoas que, supostamente, foram vítimas do ex-servidor público Benício Vieira de Lima, que está sendo acusado de estupro, relataram que foram abusadas sexualmente por ele, à Polícia Civil (PC). No total, já são mais de 30 denúncias.

Segundo a delegada Ana Luiza Nogueira, que coordenou a operação que culminou com a prisão de Benício, “onze adolescentes e um adulto fizeram o reconhecimento hoje. Somado com os outros casos já são mais de trinta denúncias”, disse.  

Ana Luiza disse ainda que será necessário realizar um levantamento nas duas delegacias da mulher para confirmar os casos.

Sobre a pena que provavelmente será aplicada a Benício, a delegada informou que “a pena máxima de estupro é de dez anos e são contadas individualmente. Ele está respondendo por vários casos, provavelmente, se ele for condenado por todos, a pena irá ultrapassar 100 anos, muito embora só possa cumprir o máximo de 30”, explicou Ana Luiza.

De acordo com Ana, “os procedimentos tramitam em três delegacias, e agora as três delegadas especializadas responsáveis pelo caso irão concluir todos os inquéritos e encaminharão para o Poder Judiciário”, afirmou.

A previsão é que Benício Vieira seja encaminhado ainda hoje para o sistema prisional alagoano.

O caso

Após uma investigação, a Polícia Civil prendeu Benício que trabalhava como assessor parlamentar, e é acusado de praticar diversos estupros desde 2015, tendo como vítimas adolescentes em Maceió.

O acusado é apontado pela polícia como “estuprador em série”. Apesar das acusações e provas apresentadas pela Polícia Civil, ele nega ter pratico os crimes.

Segundo o levantamento da Polícia, as vítimas têm entre 11 e 18 anos.  As vítimas eram abordadas nos bairros de Jacintinho e Feitosa, e sob a mira de um revólver as obrigavam a entrar no veículo e seguia até o seu local de trabalho.

Em nota, o vereador Chico Filho afirmou que está assustado com toda situação, diante de que o assessor tinha 15 anos de convívio familiar e nunca levantou qualquer suspeita. Informou ainda que será pedido a imediata exoneração do assessor, além de se colocar à disposição das autoridades policiais e judiciais para contribuir com as investigações.

A Câmara Municipal de Maceió afirmou, por meio de nota, que abrirá um inquérito administrativo para investigar o uso indevido de possível veículo nos crimes de estupros denunciados pela Polícia Civil.

Cada Minuto



Enquete
Você concorda com a Reforma da Previdência?
Total de votos: 352
Google News