20/08/2019 17:48:16

Política
14/04/2019 19:00:00

Visita a aeroporto em Macapá estreia agenda positiva do presidente


Visita a aeroporto em Macapá estreia agenda positiva do presidente
Polêmicas à parte na ingerência na Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro ainda tenta acertar a articulação política feita pelo governo. Ontem, deu início à agenda positiva que pretende adotar ao longo dos próximos 100 dias de governo, a fim de se aproximar da população e dos parlamentares, em lançamentos de obras e programas governamentais. Em Macapá, ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do governador do estado, Waldez Góes (PDT), e do prefeito da capital, Clécio Luis (Rede), inaugurou o novo terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre — tio do senador.
 
O gesto é essencialmente político. Conta pontos para Bolsonaro com a população da capital do Amapá e de outros estados da região. A obra inaugurada recebeu investimentos de R$ 166,4 milhões e se tornou um dos principais empreendimentos do governo na região Norte, que tende a propiciar a melhora do bem-estar social, do comércio e da geração de empregos. O aeroporto passará a receber 5 milhões de passageiros por ano, acima dos 800 mil atuais. Por consequência, são fatores que, politicamente, se tornam importantes para os parlamentares e gera, por fim, bônus ao governo. Todos saem ganhando: no Palácio do Planalto e no Parlamento.
 
Foi a primeira visita de Bolsonaro ao Amapá, único estado que não havia visitado na campanha eleitoral. No evento de inauguração, foi enaltecido e chamado aos gritos de “Mito”. É o que cobram deputados e senadores, sobretudo tendo em vista as discussões da reforma da Previdência. As bancadas partidárias exigem que ele seja o “garoto-propaganda” das modificações nas regras de aposentadorias. A lógica é simples. Um presidente fortalecido e querido pelo povo tem mais chances de convencer a população da necessidade de uma matéria impopular encaminhada pelo próprio governo do que os parlamentares com suas bases. Além do desgaste ser menor, os congressistas dispostos a votar favoravelmente podem se sentir mais confortáveis com a decisão tendo o presidente da República como fiador.
 
A participação na cerimônia de entrega do terminal do líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), é a prova de que o gesto de Bolsonaro é positivo. Além dele, participaram o senador Lucas Barreto (PSD-AP) e outros oito deputados federais do estado. Na chegada ao aeroporto, o presidente se reuniu com todos, além de Alcolumbre, Góes e Clécio. O chefe do Planalto sinalizou que a inauguração do terminal não é a única medida que pretende adotar.
 

Exploração

 
O presidente da República defendeu a exploração da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca). A unidade territorial chegou a ser extinta no governo do ex-presidente Michel Temer, que recuou depois de diversas críticas de entidades ambientalistas. A área fica na divisa entre Pará e Amapá e é rica em ouro, ferro e cobre. Ambientalistas, no entanto, a qualificam como uma espécie de barreira para a preservação do meio ambiente local. “Sempre me refiro, no tocante a riquezas, ao pequeno estado de Roraima. Mas este grande estado, médio estado do Amapá, também é rico. Conversando com alguns parlamentares, vamos conversar sobre a Renca? A Renca é nossa. Vamos usar as riquezas que Deus nos deu para o bem-estar da nossa população”, destacou.
 
A exploração “responsável” da Amazônia também não está descartada por Bolsonaro. “Com essa indústria de demarcação de terras indígenas, que nasceu lá atrás, depois que o (João) Figueiredo (o último ex-presidente do regime militar) deixou a presidência, pode, mais cedo ou mais tarde, nós perdermos a Amazônia, porque novos países poderão passar a existir aqui dentro do Brasil”, ponderou. A visita a Manaus também está no radar do governo. A expectativa é de que ele visite a Zona Franca de Manaus, polo industrial da capital amazonense. A visita do presidente também está prevista em Campina Grande (PB), onde ele inaugurará casas do programa Minha Casa Minha Vida.
 
Correio Braziliense


Enquete
Dos nomes abaixo qual você escolheria votar para Prefeito?
Total de votos: 112
Google News