22/05/2019 13:48:55

Justiça
11/04/2019 07:20:00

22 anos de prisão: TJ mantém condenação do Cabo Luiz Pedro por homicídio


22 anos de prisão: TJ mantém condenação do Cabo Luiz Pedro por homicídio

Em julgamento realizado hoje, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça manteve a condenação do Cabo Luiz Pedro como mandante do assassinato do pedreiro Carlos Roberto Rocha Santos, crime ocorrido em agosto de 2004.

O ex-militar havia sido condenado a 26 anos e cinco meses, pelo Tribunal do Júri, em julgamento realizado em setembro de 2015.

Recorreu da sentença, mas hoje o TJ confirmou a pena de prisão, reduzindo-a para 22 anos, 9 meses e 15 dias.

Segundo o advogado João Uchôa, que atuou no julgamento de hoje como assistente de acusação, tão logo sejam apreciados os recursos a serem apresentados no próprio TJ, ele vai solicitar a prisão do Cabo Luiz Pedro, “no cumprimento da decisão do Supremo Tribunal Federal (prisão após condenação no 2º grau.”

Na sessão de hoje, o desembargador Washington Luiz deu seu voto pela condenação, apontando para a redução da pena em função da prescrição do crime de sequestro – também julgado pelo Tribunal do Júri.

A votação foi unânime: além dele os desembargadores José Carlos Malta, Sebastião Costa Filho (relator), e João Luiz de Azevedo Lessa se manifestaram pela manutenção da condenação.

O grande ausente

Como destacou o advogado, o pai da vítima, seu Sebastião Pereira, foi o grande responsável para que o julgamento acontecesse, nunca desistindo de tentar levar os réus – Cabo Luiz Pedro, principalmente – a julgamento.

Ele esteve presente na condenação do ex-militar pelo Tribunal de Júri, mas morreu em junho de 2017, ser ver a a decisão de hoje do Tribunal de Justiça.

O caso é um dos mais emblemáticos – e arrastados – do Judiciário alagoano, e se chegou até aqui, isso se deve ao seu Sebastião Pereira.

TNH1 - Ricardo MNota



Enquete
Você concorda com a Reforma da Previdência?
Total de votos: 344
Google News