23/05/2019 21:55:56

Alagoas
02/04/2019 18:30:00

Arsal vai acionar a justiça contra medida da SMTT que proíbe complementares em Maceió


Arsal vai acionar a justiça contra medida da SMTT que proíbe complementares em Maceió

O presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), Lailson Ferreira, informou nesta segunda-feira (01), em entrevista à Rádio Gazeta, que está tomando todas as providências junto à Justiça para reverter a decisão da Superintendência de Transporte e Trânsito de Maceió que delimita o acesso das linhas convencionais e do serviço complementar intermunicipal advindo da região metropolitana aos limites da circunscrição do município de Maceió.  

Segundo ele, o superintendente da SMTT está equivocado, visto que os motoristas são cidadãos que trabalham de forma honesta, transportando usuários diariamente para todos os destinos da capital.

"A Arsal tem realizado, de forma efetiva, seu trabalho de fiscalização. Inclusive, já nos reunimos diversas vezes com as associações complementares e, em nenhum momento, a SMTT convidou a Arsal para discutir a situação. Devido a esta nova mudança, estamos tomando todas as providências, junto à Justiça, para reverter o quadro", disse o presidente da Arsal, acrescentando que a SMTT já tomou a mesma decisão, há algum tempo, tendo sido derrubada pelo Judiciário.

O superintendente da SMTT, Antônio Moura, explicou em entrevista na Rádio Pajuçara FM Maceió que os veículos não poderão mais entrar na cidade porque acabam fazendo transporte ilegal de passageiros. “Já fizemos uma tentativa de colocar o ponto final na Rodoviária [no Feitosa], mas não deu certo porque os veículos ficam fazendo transporte de passageiros dentro da cidade”, alegou.

Segundo ele, os pontos de paradas dos veículos que chegam do interior já estão definidos, mas ainda podem ser reavaliados e sofrer mudanças. O prazo de estudos é até esta terça (02), e em seguida a SMTT fará a sinalização e divulgação dos locais.

*Redação Alagoas Alerta



Enquete
Você concorda com a Reforma da Previdência?
Total de votos: 351
Google News