17/07/2019 11:49:02

Cultura
04/03/2019 12:30:00

Cinema Alagoano ganha força e ocupa cada vez mais espaço no cenário nacional


Cinema Alagoano ganha força e ocupa cada vez mais espaço no cenário nacional

Promissor. É assim que podemos definir o cenário audiovisual alagoano. Diante de todas as transformações na cena local, a vontade de expor olhares e histórias, sejam elas de ficção ou não, cresce e ganha uma nova cara. Com roteiros surpreendentes e que mostram vislumbres do cotidiano em cores ou no clássico preto e branco, gente da gente ganha espaço no vasto mundo do cinema. Seja com os editais que contemplam festivais, como a Mostra Sururu, Circuito Penedo de Cinema e outros projetos independentes, quem produz garante, tratamos aqui de algo concreto: o cinema alagoano alça voo!

 Para garantir o sucesso do segmento no Estado, o Governo de Alagoas,  por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult/AL), vem utilizando ferramentas importantes. A Secult foi selecionada no Edital Audiovisual da Agência Nacional de Cinema (Ancine), lançado em 2018, garantindo assim um investimento de mais de R$ 8 milhões provenientes do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e do Fundo de Desenvolvimento de Ações Culturais (FDAC), do Programa de Fomento e Incentivo à Cultura Alagoana (Fica/Secult-AL).

 A pasta já está dando andamento ao quinto edital de Apoio à Produção Audiovisual. “Este, sem dúvidas, é um edital histórico para o segmento cultural alagoano, que recebe investimentos nunca antes aportados em Alagoas”, conta a secretária de cultura, Mellina Freitas. Para cada real colocado de contrapartida do Governo de Alagoas, a Ancine aporta R$ 5 a partir do FSA, oriundos da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine), financiada pelas empresas operadoras de TV por assinatura e telefonia.

“Desta vez estamos destinando R$ 1.365 milhões para o Fundo, desta forma teremos o retorno de R$ 8.190 milhões para as realizações de projetos audiovisuais”, disse a titular da pasta.

O edital tem previsão de lançamento ainda pra o primeiro semestre de 2019 e contemplará a seleção de três longas-metragens, uma série, quatro telefilmes, 13 curtas-metragens divididos em categorias especiais. Ao longo do ano também serão desenvolvidos projetos que incentivem a produção audiovisual no Estado, como festivais e atividades de formação do setor.

Núcleo de Produção Digital

Desde o ano de 2018 o cinema alagoano já conta com um grande incentivo para as produções no Estado. Os produtores podem solicitar o uso de equipamentos de última geração do Núcleo de Produção Digital de Alagoas (NPD), adquiridos pelo Governo de Alagoas, por meio da Secult.

 Localizado no Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), o Núcleo é uma iniciativa de apoio e fomento à atividade audiovisual local, por meio de ações de formação, qualificação técnica, difusão e de cessão aos produtores independentes do Estado de equipamentos de captação e edição de imagem e som em plataforma de alta definição.

Os interessados em fazer uso dos equipamentos devem apresentar seu pedido de inscrição no Protocolo da Secult, localizada na Praça. Mal. Floriano Peixoto, s/n, Centro, das 8h às 14h, em envelope lacrado, com o nome do filme e do responsável, contendo formulário de inscrição preenchido; carta do responsável pelo projeto; relação nominal da equipe; comprovante de inscrição e situação cadastral no CPF, RG, Comprovante de Residência de dois anos atrás e atual (recente mínimo de três meses) do responsável pelo projeto e diretor; apresentação do roteiro, sinopse, composição da equipe técnica, cronograma de produção, portfólio do técnico de som, diretor de fotografia e do editor (Montador)/finalizador e comprovação de currículo técnico da equipe.

“A utilização do equipamento será definida de acordo com a ordem de inscrição e a disponibilidade de pauta para a produção independente. Poderão se candidatar pessoas físicas residentes em Alagoas, há pelo menos dois anos, com obras audiovisuais autorais e artísticas, cujo teor não se preste a fins publicitários, institucionais ou político-partidários e que se enquadre nos gêneros de Documentário, Ficção, Videoclipe, Videoarte/ Experimental e Animação. As inscrições são gratuitas”, explica Leandro Alves coordenador do Misa.

Todo projeto inscrito passará por uma análise com a finalidade de avaliar seu enquadramento nas especificações técnicas do regulamento, disponível no endereço http://www.cultura.al.gov.br/politicas-e-acoes/nucleo-de-producao-digital-de-alagoas, e  se, aprovados, obedecerão à disponibilidade de pauta.

Para o produtor Rafhael Barbosa, “a reativação do Núcleo de Produção Digital fortalece a cadeia produtiva do cinema em Alagoas, que vai do diretor aos técnicos, movimentando a economia e a cultura do Estado”.

Festivais

 Nos últimos anos os festivais de cinema de Alagoas ganharam uma nova dimensão com o apoio efetivo do Governo do Estado, fazendo com que os eventos entrassem de vez para o calendário e roteiro do cinema nacional. Diante do incentivo crescente, O Circuito Penedo de Cinema e a Mostra Sururu, festivais que marcam a produção audiovisual em Alagoas, rendem bons frutos, apresentando e descobrindo novos talentos.

Caminhando para uma nova edição, o Circuito Penedo de Cinema bateu o recorde de filmes inscritos em 2018, somando um total de 497 produções, 52 selecionadas e cinco vencedoras. O evento é o maior do estado sobre cinema e inteiramente gratuito. Para o coordenador geral do Circuito a tendência é fazer com o que o evento ganhe mais destaque a cada ano. “Nossas expectativas para os próximos anos é fortalecer ainda mais o Circuito. Nosso evento é resistência”, declarou.

O Circuito Penedo de Cinema é realizado pelo Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS) e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult) e pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

  

Apontando para a edição de 10 anos de evento, a Mostra Sururu também vem ganhando força na cena local. Contando com patrocínio do edital Algás Social e da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas, em 2018 o evento ampliou suas atividades. Além da tradicional mostra competitiva, foram realizadas exibições itinerantes em Penedo, Arapiraca, Marechal Deodoro e Maceió.

A ampliação, segundo a produção do evento, faz parte de processo de desenvolvimento para a realização da edição de 10 anos da mostra, que acontecerá neste ano. “A edição de 10 anos será um marco simbólico para o nosso audiovisual. E por isso precisará refletir o atual momento da produção do cinema local, que se encontra em sua melhor fase historicamente, tanto em quantidade técnica e artística quanto, quanto em repercussão nacional. Em 2019 pretendemos fazer uma mostra histórica, levando o cinema alagoano para as periferias, para o interior, para a TV pública, e também realizar a maior a mostra competitiva que já fizemos. Será uma edição ambiciosa”, explica Glauber Xavier, produtor executivo da edição 2018.

Em 2018, o Circuito Penedo de Cinema e a Mostra Sururu receberam um apoio do Governo do Estado no valor de R$ 350 mil e R$ 15 mil, respectivamente. Neste ano, os repasses serão feitos através do IV Edital de Apoio a Produção Audiovisual.

7 Segundos



Enquete
Em sua avaliação que nota de 0 a 10 você dá ao Governo Bolsonaro
Total de votos: 151
Google News