09/07/2020 17:52:45

20/03/2009 00:00:00

Polícia


Polícia

O deputado estadual afastado Cícero Ferro (PMN) foi preso – na manhã de hoje, dia 20 – sob a acusação de homicídio e formação de quadrilha. O parlamentar é acusado de ser o mandante da morte do primo Jacó Ferro.

Ferro é acusado de homicídio qualificado e formação de quadrilha. A prisão é por tempo indeterminado e foi determinada pelos juízes da 17ª Vara Criminal da Capital. Na manhã de hoje, Cícero Ferro – logo após ser detido em sua residência em um condomínio de luxo na parte alta da cidade – foi conduzido ao Instituto Médico Legal Estácio de Lima (IML) para a realização exame de corpo de delito.

O deputado estadual - que foi afastado das suas funções por determinação da Justiça - já havia sido detido outras vezes pela acusação de homicídio. De acordo com Ferro, ele é inocente e a prisão é uma “invenção” para encarcerá-lo por mais uma vez. Ao sair do IML, Cícero Ferro declarou que “na segunda-feira próxima, o Supremo Tribunal Federal me colocará em liberdade”.

O parlamentar será encaminhado para a sede da Polícia Federal. Cícero Ferro é ainda apontado como um dos deputados estaduais envolvidos com a quadrilha que teria desviado – segundo investigações da Polícia Federal, durante a Operação Taturana – mais de R$ 280 milhões do erário.

De acordo com o advogado de Cícero Ferro, Welton Roberto, existe uma perseguição contra o deputado estadual. “Se pudessem, eles (os juízes) colocariam o Cícero Ferro numa casinha de cachorro, amarrado pelas pernas”, frisou. O advogado de defesa disse que há em Alagoas, “uma desobediência frontal às decisões que são tomadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF)” e que iria recorrer em Brasília.

Welton Roberto frisou ainda que os juízes da 17ª Vara passaram a perseguir Ferro, mesmo depois que a instância superior teria determinado que ele não poderia ser preso. O advogado de defesa salientou que questionará a constitucionalidade da 17ª Vara Federal junto à Ordem dos Advogados do Brasile Conselho Nacional de Justiça. “Alagoas decretou independência do Brasil, para que as decisões daqui possam valer mais do que a da Suprema Corte?”, ironizou Welton Roberto.

Ferro já foi citado em dois casos de homicídio. Além do caso Fernando Aldo, ele é suspeito de comandar a morte de Jacó Ferro. Ferro ficará preso na sede da Polícia Federal.

com alagoas24horas // luis vilar



Enquete
Você acredita no numero de mortos por Covid-19 divulgado pelo governo?
Total de votos: 183
Google News