14/08/2018 05:32:16

Economia
23/07/2018 16:30:00

Saques do fundo PIS-Pasep injetam mais R$ 16 bilhões na economia


Saques do fundo PIS-Pasep injetam mais R$ 16 bilhões na economia
Ilustração

Por correio braziliense

A partir de 8 de agosto, será retomada a liberação das cotas do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) para trabalhadores com menos de 60 anos. O prazo para os saques termina dia 28 de setembro, e, até lá, a expectativa é de que cerca de 16 milhões de pessoas terão acesso aos R$ 16 bilhões restantes dos R$ 39 bilhões previstos pelo governo quando o programa foi ampliado no início de junho.
 
As pessoas que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988 têm direito aos recursos do fundo PIS-Pasep. Em situações comuns, só podem sacar quem tem 60 anos de idade ou mais, os aposentados, os diagnosticados com câncer e vírus HIV e quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Os saques tinham sido liberados em 18 de junho, mas foram interrompidos no dia 30 para o cálculo de rendimentos anuais das cotas. A remuneração sobre o montante a ser disponibilizado entre agosto e setembro será de 8,97%.
 
Mas nem tudo vai para o consumo. Estimativas da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indicam que apenas R$ 10,3 bilhões desses R$ 39 bilhões previstos nos saques do PIS-Pasep devem chegar ao comércio efetivamente. Muitos brasileiros devem usar os recursos para pagar dívidas, pois o endividamento das famílias ainda está elevado. É o caso do comerciante Raimundo Amarante Freire Madeira, 58 anos. Ele não quis citar valores, mas afirma ter pendências financeiras bem altas e pretende usar parte do dinheiro do saque para pagar dívidas. “Tenho R$ 1.380 para receber do PIS e vou usar para comprar produtos para minha casa, que está precisando de aparelhos novos. Mas também usarei para quitar as dívidas menores, mas o cartão de crédito e o cheque especial tentarei renegociar depois com o banco, até porque os juros são altíssimos”, reclama.
 
O vendedor de seguros Humberto Teixeira, 54, também será um dos beneficiados da liberação do PIS-Pasep. Ele consultou, mas viu que tem direito a muito pouco e ainda não sabe ao certo o que fazer com o dinheiro. “Vou sacar R$ 110. Pode ser que use para abater parte do financiamento do carro, mas é muito pouco. Não sei se adiantaria”, avalia ele, que está com duas parcelas da prestação do veículo, de R$ 950 mensais. “Lá em casa, somos quatro pessoas, sendo que três trabalham. Mesmo com todos buscando dinheiro diariamente, estamos no aperto, com conta de água e luz atrasados. O aluguel também está muito alto. Então, a situação está muito difícil. Cortamos muita coisa, inclusive, na alimentação. Quando não dá para ter carne em casa, compramos ovo”, lamenta.

 


Enquete
Se a eleição fosse hoje qual o candidato de sua preferencia para Governador de Alagoas?
Total de votos: 305
Google News