Política
12/03/2018 13:09:00

Deputados federais e estaduais começam mudança de partido aproveitando janela


Deputados federais e estaduais começam mudança de partido aproveitando janela
TSE supervisiona politicos que trocam de partido

Na Câmara Federal, dois deputados federais já mudaram de sigla; na ALE, período deve atingir, ao menos, sete parlamentares

A janela partidária - período que oferta aos parlamentares a troca de partido sem nenhuma punição -, já provocou a mudança na composição da bancada federal de Alagoas em Brasília. Os deputados Cícero Almeida e Gilvado Carimbão vão para novas "casas". Outras possibilidades são analisadas por alguns parlamentares. Na Assembleia Legislativa de Alagoas, ao menos sete deputados estão sendo convidados a sair das atuais siglas para migrarem para outra, sob o "argumento de que aqui vocês têm mais chances". O período terminará à meia-noite do dia 6 de abril. 

janela partidária - período que oferta aos parlamentares a troca de partido sem nenhuma punição -, já provocou a mudança na composição da bancada federal de Alagoas em Brasília. Os deputados Cícero Almeida e Gilvado Carimbão vão para novas "casas". Outras possibilidades são analisadas por alguns parlamentares. Na Assembleia Legislativa de Alagoas, ao menos sete deputados estão sendo convidados a sair das atuais siglas para migrarem para outra, sob o "argumento de que aqui vocês têm mais chances". O período terminará à meia-noite do dia 6 de abril. 

Após passar quatro meses sem filiação partidária, o deputado federal Cícero Almeida saiu do MDB para o PHS - que era liderado em Alagoas pelo colega de Câmara Federal Givaldo Carimbão. Almeida disse que a filiação ao novo partido se deu de forma clara, objetiva e em comum acordo entre as partes. O ex-prefeito de Maceió declarou que está se "sentido em casa" e espera ficar no PHS até o dia em que "vai pendurar as chuteiras na política". O deputado federal reafirmou que nas eleições de 2018 deve concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa de Alagoas.

"Na Câmara Federal, o Congresso Nacional não foi aquilo que, inicialmente, estávamos esperando. Por isso, acredito que na ALE podemos fazer um trabalho melhor, estando mais perto da sociedade alagoana e, assim, atendendo suas demandas. Estou muito bem aqui, no PHS", respondeu Almeida sobre sua na casa, projetando que a sigla trabalha para eleger dois estaduais na Casa de Tavares Bastos e um para deputado federal. "Temos bons nomes. Estamos trabalhando. A expectativa é boa, positiva. Assumimos um partido bastante organizado", frisou ele. 

Após passar quatro meses sem filiação partidária, o deputado federal Cícero Almeida saiu do MDB para o PHS - que era liderado em Alagoas pelo colega de Câmara Federal Givaldo Carimbão. Almeida disse que a filiação ao novo partido se deu de forma clara, objetiva e em comum acordo entre as partes. O ex-prefeito de Maceió declarou que está se "sentido em casa" e espera ficar no PHS até o dia em que "vai pendurar as chuteiras na política". O deputado federal reafirmou que nas eleições de 2018 deve concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa de Alagoas.

Fora do PHS, Givaldo Carimbão chegou a flertar com o PEN, mas as tratativas finais para sua filiação acabaram não dando certo. Ele disse que saiu do partido após sucessivas troca de presidente no comando, o que não agradou a ele e a outros deputados federais do Brasil. "Muitos saíram de lá", explicou. Nesta sexta-feira (9), por meio das redes sociais, Carimbão anunciou sua filiação ao AVANTE (ex-PT do B), partido que era comandado pelo Marco Toledo há 25 anos. Carimbão disse que chega ao partido a convite da direção nacional e, também, da deputada Rosinha da Adefal.

"É preciso deixar claro que só saí do PHS pelas sucessivas mudanças no comando da sigla. Tive uma excelente conversa com a deputada Rosinha da Adefal e os demais filiados. Fico como presidente estadual e o deputado Carimbão Jr. como vice. Acredito que posso alcançar minhas vitórias sem ferir ninguém. E posso fazer quem estiver ao meu lado prosperar também", frisou, acrescentando que o AVANTE vai trabalhar para eleger dois federais e três deputados na Assembleia Legislativa. As mudanças de siglas são acompanhadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Assembleia Legislativa 

Na Casa de Tavares Bastos, os deputados que buscam reeleição analisam diversos convites feitos pelas siglas partidárias. Deputados como Inácio Loila, Thaíse Guedes, Davi Davino, Jairzinho Lira, entre outros, estão sendo cortejados. No caso da deputada Thaíse, ela confirmou, em entrevista à Gazetaweb, que ao menos cinco partidos já entraram em contato fazendo propostas. A parlamentar não apontou para onde deve ir. Hoje, ela encontra-se no MDB, do governador Renan Filho. 

Na avaliação de especialistas, e também nos bastidores do Congresso e da Assembleia, o entendimento é que muitas negociações, que envolvem acesso a recursos de campanha e tempo de televisão, ainda estão em curso e as trocas deverão se intensificar somente na reta final da janela. Nos bastidores, deputados avaliam que o período da janela partidária serve como um "leilão" dos parlamentares.

Em busca de um espaço que dê melhores condições de disputar as eleições, muitos seguram a negociação com dirigentes partidários até os últimos momentos, em busca de valorização. Na opinião do advogado Marlon Reis, um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, a maior parte dos parlamentares vai esperar até o limite do prazo. Enquanto isso, seguem negociando e fazendo cálculos. "É um jogo de estratégia. Por isso, muitos acabam esperando até o último momento", disse ao G1. 

Gazetaweb

 

 




Outras Notícias

Enquete
Você acha que o Brasil tem chance de ser campeão do Mundo na Copa 2018?
Total de votos: 4
Google News