21/04/2019 17:33:48

10/02/2008 00:00:00

Segurança


Segurança
O projeto arquitetônico e de engenharia já está sendo elaborado pelo Centro de Perícias Forenses, e deverá ser levado e submetido à aprovação do Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) até o início de abril. O objetivo é abrigar em um só local, em área que já foi cedida pelo governo do Estado, no Tabuleiro do Martins, o IML de Maceió, o Instituto de Criminalística, o Instituto de Identificação, o Laboratório de Perícias, além da direção geral do centro.

Para a construção do complexo, estima-se em R$ 12 milhões o total de recursos federais necessários. A contrapartida do estado deverá ser a doação do terreno, que fica próximo ao 5º Distrito. Para o diretor do Centro de Perícias Forenses, Nivaldo Cantuária, está otimista em que a proposta será aprovada pela Senasp, que também já construiu centros semelhantes em estados como Santa Catarina, Mato Grosso, Tocantins e Amapá – o último a ser inaugurado.

O projeto é de médio a longo prazo. Em sendo aprovado, será iniciada a fase de licitação para somente depois vir a fase de construção. Cantuária prevê que um projeto desse porte, pela complexidade e recursos necessários, deve levar de dois a três anos para ser concluído. Ela lamenta que essa iniciativa não tenha sido tomada em períodos anteriores, pelos ganhos e eficiência que pode proporcionar. “É a primeira vez que o estado vai apresentar um projeto desse porte”, disse.

De acordo com o diretor, as vantagens do agrupamento das atividades em um único lugar incluem a melhor funcionalidade dos órgãos, a exemplo de agilidade no atendimento e praticidade na execução dos trabalhos, bem como comodidade no deslocamento dos usuários que necessitarem dos serviços prestados pelos institutos. Atualmente, o Instituto de Identificação funciona na rua Cincinato Pinto (Centro), o IML de Maceió no Prado (Praça da Faculdade) e o Instituto de Criminalística na rua do Sol. “Muitas vezes o perito sai do local do crime e quer acompanhar o exame do IML e o local é distante. Com a centralização das atividades em um só local, tudo ficará mais prático”, afirmou.

Equipamentos – Outra ação importante encaminhada pelo Centro de Perícias Forenses, com o objetivo de otimizar os serviços prestados, foi a garantia de prorrogação de um convênio firmado em 2005, entre a Senasp e o Instituto de Criminalística, para a compra de equipamentos no valor de R$ 196,5 mil. Os recursos já tinham sido liberados e o prazo para aplicação estava expirando. “O processo estava arquivado, mas o dinheiro estava disponível. Quando assumimos, reativamos o processo e prosseguimos com a licitação. Em dezembro do ano passado os equipamentos começaram a chegar”, afirmou.

Na lista dos bens e equipamentos adquiridos estão dez aparelhos de geoprocessamento via satélite; 22 computadores; duas impressoras a laser coloridas e 12 impressoras a jato de tinta; além de quatro câmeras fotográficas; seis scaners (sendo quatro do tipo normal e dois profissional); material para levantamento de impressão digital em locais de crime; dentre outros itens. “Os equipamentos serão úteis para o Instituto de Criminalística por várias razões, entre elas porque facilitará a elaboração de laudos dos trabalhos desenvolvidos em campo (local do crime)”, destacou Nivaldo Cantuária.

Divulgação


Enquete
Qual dos nomes elencados abaixo é seu candidato a Prefeito em 2020?
Total de votos: 20016
Google News