25/06/2019 04:58:33

10/02/2008 00:00:00

Segurança


Segurança
O projeto arquitetônico e de engenharia já está sendo elaborado pelo Centro de Perícias Forenses, e deverá ser levado e submetido à aprovação do Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) até o início de abril. O objetivo é abrigar em um só local, em área que já foi cedida pelo governo do Estado, no Tabuleiro do Martins, o IML de Maceió, o Instituto de Criminalística, o Instituto de Identificação, o Laboratório de Perícias, além da direção geral do centro.

Para a construção do complexo, estima-se em R$ 12 milhões o total de recursos federais necessários. A contrapartida do estado deverá ser a doação do terreno, que fica próximo ao 5º Distrito. Para o diretor do Centro de Perícias Forenses, Nivaldo Cantuária, está otimista em que a proposta será aprovada pela Senasp, que também já construiu centros semelhantes em estados como Santa Catarina, Mato Grosso, Tocantins e Amapá – o último a ser inaugurado.

O projeto é de médio a longo prazo. Em sendo aprovado, será iniciada a fase de licitação para somente depois vir a fase de construção. Cantuária prevê que um projeto desse porte, pela complexidade e recursos necessários, deve levar de dois a três anos para ser concluído. Ela lamenta que essa iniciativa não tenha sido tomada em períodos anteriores, pelos ganhos e eficiência que pode proporcionar. “É a primeira vez que o estado vai apresentar um projeto desse porte”, disse.

De acordo com o diretor, as vantagens do agrupamento das atividades em um único lugar incluem a melhor funcionalidade dos órgãos, a exemplo de agilidade no atendimento e praticidade na execução dos trabalhos, bem como comodidade no deslocamento dos usuários que necessitarem dos serviços prestados pelos institutos. Atualmente, o Instituto de Identificação funciona na rua Cincinato Pinto (Centro), o IML de Maceió no Prado (Praça da Faculdade) e o Instituto de Criminalística na rua do Sol. “Muitas vezes o perito sai do local do crime e quer acompanhar o exame do IML e o local é distante. Com a centralização das atividades em um só local, tudo ficará mais prático”, afirmou.

Equipamentos – Outra ação importante encaminhada pelo Centro de Perícias Forenses, com o objetivo de otimizar os serviços prestados, foi a garantia de prorrogação de um convênio firmado em 2005, entre a Senasp e o Instituto de Criminalística, para a compra de equipamentos no valor de R$ 196,5 mil. Os recursos já tinham sido liberados e o prazo para aplicação estava expirando. “O processo estava arquivado, mas o dinheiro estava disponível. Quando assumimos, reativamos o processo e prosseguimos com a licitação. Em dezembro do ano passado os equipamentos começaram a chegar”, afirmou.

Na lista dos bens e equipamentos adquiridos estão dez aparelhos de geoprocessamento via satélite; 22 computadores; duas impressoras a laser coloridas e 12 impressoras a jato de tinta; além de quatro câmeras fotográficas; seis scaners (sendo quatro do tipo normal e dois profissional); material para levantamento de impressão digital em locais de crime; dentre outros itens. “Os equipamentos serão úteis para o Instituto de Criminalística por várias razões, entre elas porque facilitará a elaboração de laudos dos trabalhos desenvolvidos em campo (local do crime)”, destacou Nivaldo Cantuária.

Divulgação


Enquete
Na Eleição de 2020 em quem você votaria para Vereador de União dos Palmares?
Total de votos: 975
Google News