21/11/2019 05:44:14

11/10/2007 00:00:00

Educação


Educação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal) deverá manter a greve, que dura cerca de um mês. A informação é da presidente do Sinteal, Girlene Lázaro, que afirma que não recebeu até agora nenhum comunicado da Justiça determinando a ilegalidade da greve.

Girlene participa, durante todo o dia, da Pré-Conferência Regional, em Santana do Ipanema, e afirma que soube da determinação do juiz através da imprensa. “Ontem estivemos reunidos com os deputados na Assembléia Legislativa, reunimos a categoria, decidimos pela manutenção da greve e inclusive programamos algumas mobilizações, justamente porque não recebemos nada da Justiça”, disse a professora Girlene.

Ela afirma ainda que as mobilizações estão mantidas até que o Sindicato seja comunicado oficialmente pela Justiça alagoana. “Não sentamos para discutir os procedimentos porque oficialmente não fomos informados ainda sobre a ilegalidade da greve. Desta forma, todas as mobilizações estão mantidas”, completou.

Amanhã às 9 horas, os grevistas realizam uma mobilização no Cepa e na próxima sexta-feira às 9 horas, a categoria volta a se reunir em assembléia, no Clube Fênix Alagoana para discutir os rumos da greve.

Ilegalidade

O juiz da 17º Vara Cível da Capital Fazenda Estadual, Kléver Rego Loureiro, declarou irregularidades na greve dos servidores da educação e determinou o retorno da categoria ao trabalho.

Loureiro estipulou multa de R$ 5 mil e desconto nos subsídios pelos dias paralisados, além de processo administrativo disciplinar.

com alagoas24horas // Danielle Silva



Enquete
Se a Eleição Municipal fosse hoje qual seria seu candidato preferido?
Total de votos: 2683
Google News