06/12/2019 14:47:06

Municípios
21/04/2011 21:56:09

Irmãs desaparecidas são encontradas mortas em fazenda de Coruripe


Irmãs desaparecidas são encontradas mortas em fazenda de Coruripe
Corpos estavam em estado de decomposição

Com gazetaweb // roberta batista e regina carvalho

 

Os corpos das irmãs Cícera e Samara, encontrados na tarde desta quinta-feira (21), no município de Coruripe, já estão no Instituto Médico Legal Estácio de Lima (IML), em Maceió. De acordo com o IML, os corpos serão liberados nesta sexta-feira, pois o órgão só realiza exames das 7h às 18h.

José Raimundo de Oliveira Santos, pai de Samara Oliveira dos Santos, de 14 anos, e padrasto de Cícera Beatriz dos Santos, de 12 anos, desaparecidas desde 29 de março, será ouvido pelo delegado de plantão no 89° Distrito Policial, ainda nesta quinta-feira.

A conselheira tutelar do município, Sidrônia Luz, explicou que o conselho tutelar está auxiliando a família. E que o depoimento de parentes pode ajudar na investigação. “Estamos com o pai na delegacia e vamos ficar amanhã no velório e no enterro, nesses casos o conselho tutelar dá apoio à família. Estão todos arrasados, eles tinham esperança de encontrar as meninas vivas”, disse Sidrônia. Em nome da família, ela afirmou também que os corpos das meninas serão velados, rapidamente, em casa e, em seguida, seguirão serão enterrados no único cemitério da cidade, vizinho a rodoviária de Coruripe.

O pai das garotas disse que ele ou uma tia delas virá a Maceió, nesta sexta-feira, para a liberação dos corpos. José Raimundo disse que estava em casa quando recebeu uma ligação de uma rádio de Coruripe, nesta tarde. “Um senhor que cata palha de ouricuri encontrou os corpos. Peguei minha moto, juntei mais 10 a 12 motos e a gente foi lá. Nessa região de Coruripe, a gente não procurou”, revelou José Raimundo.

Em entrevista por telefone a Gazetaweb , ele revelou detalhes sobre o desaparecimento das duas meninas. José Raimundo disse que Cícera e Samara cursavam a mesma série, “a oitava”, na Escola Municipal Cláudio Daniel, que fica a meia hora da casa família.

Cícera Beatriz, a mais nova, era filha de Cosma dos Santos, com quem José Raimundo é casado há cinco anos. Já Samara Oliveira, era filha dele com outra mulher. As duas moravam com José Raimundo e Cosma e mais dois meninos e uma menina, um dos garotos é neto de José Raimundo, no sítio Linha.

Segundo o pai, as meninas frequentavam a igreja Assembleia de Deus. “Era de casa para o colégio. Não andavam em bar, nem em festa. Eram calmas, não andavam discutindo. Eu dizia estude, que no futuro vocês vão ser alguma coisa mais tarde”, declarou José Raimundo.

Ele revelou ainda que a família esperava que as meninas estivessem vivas. “Pensei que tivesse num cativeiro aqui em Coruripe, elas sabiam o número do meu telefone”, falou o pai.

De acordo com José Raimundo, no dia 29 de março ele reconheceu o braço da filha mais velha, quando ela estava subindo num carro. “Elas sempre iam conversando com a irmã da igreja, que fechava a venda de meio dia. Depois elas continuavam sozinhas. Nesse dia, as meninas passaram antes dela. Ela só viu quando elas entraram no carro”, disse o pai das garotas.

‘Eu confirmei com a irmã pra saber se eram elas, mas não me preocupei porque pensei que fosse o pai de uma aluna que tinha dado carona a elas. Elas chegavam cinco horas, cinco e meia. Quando não chegaram, começamos a nos preocupar”, complementou José Raimundo, desolado.

Corpos foram encontrados nesta quinta-feira

A busca pelas irmãs Cícera Beatriz dos Santos, 12 anos, e Samara Oliveira, 14 anos, chegou ao fim por volta das 14 horas desta quinta-feira (21). Um trabalhador rural encontrou os corpos em uma fazenda, em Coruripe. As duas estavam desaparecidas há quase um mês.

Quando um trabalhador rural retirava palhas da fazenda Pituba, zona rural de Coruripe, viu os dois corpos e acionou a Polícia Militar, que foi até a área e reconheceu as irmãs. Os parentes das vítimas foram chamados até o local de desova e reconheceram os corpos como sendo de Cícera e Samara.

Segundo o sargento PM Lucivaldo Nascimento, do 11º BPM, os corpos estavam em estado avançado de decomposição, mas era possível identificar roupas e material escolar das vítimas. “Os parentes viram e reconheceram. Eles estão desesperados”, afirmou o militar.

O crime será investigado pelo delegado Josias de Lima. O caso seguia de forma misteriosa e a polícia chegou a acreditar que as irmãs poderiam ter fugido de casa.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico legal Estácio de Lima, em Maceió.

Homens do 11º BPM que estiveram no local informaram que cápsulas de pistola 380 foram encontradas próximo aos corpos e as irmãs apresentavam perfurações no crânio. Entretanto somente o laudo do Instituto de Criminalística pode apontar o que provocou a morte.

O delegado Josias de Lima, titular da delegacia de Coruripe, informou que começa a investigar o duplo homicídio, após o feriadão, na próxima segunda-feira. O inquérito policial já foi instaurado e as diligências devem prosseguir. “Vou fazer um levantamento com a polícia científica para saber o que eles viram no local e que informações têm”, detalhou.



Enquete
Você concorda com a redução de horário das delegacias de Alagoas
Total de votos: 20
Google News