08/08/2020 23:59:07

Alagoas
17/03/2011 22:02:14

Estado volta a alertar municípios para prevenção da cólera


Estado volta a alertar municípios para prevenção da cólera
Vibrião colérico (Ilustração)

Com agênciaalagoas // josenildo tôrres

 

Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) realizaram nesta quinta-feira (17), no auditório do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), em Maceió, um alerta aos municípios alagoanos sobre a prevenção da cólera, em função da possibilidade de o Brasil voltar a registrar casos da doença este ano, visto que desde janeiro passado o Estado do Acre passou a abrigar 120 estrangeiros que deixaram o Haiti, onde uma epidemia já afetou cerca de 200 mil pessoas, levando a óbito 2% desse total.

Como a cólera é uma doença infecciosa aguda, causada pelo vibrião colérico e cuja transmissão ocorre com facilidade, técnicos do Programa Estadual de Combate às Doenças de Veiculação Hídrica vislumbram a possibilidade de a doença fazer vítimas na região Norte, podendo chegar ao Nordeste. Para evitar que isso aconteça, segundo o técnico Lourenço Brotas, os técnicos municipais devem intensificar as ações de combate, já que a cólera é transmitida por ingestão de água e alimentos contaminados, por fezes ou vômitos de pessoas doentes.

“Por isso é imprescindível que os técnicos municipais atuem para que a população utilize somente água tratada, seja para ingeri-la ou para lavar os alimentos. Também é imprescindível cuidar da higiene pessoal, sendo o ato de lavar as mãos a principal medida”, recomendou Lourenço Brotas, ao acrescentar que a bactéria causadora da doença é combatida com o hipoclorito de sódio.

Diante disso, Lourenço Brotas informou que os técnicos municipais devem requisitar o produto na Diretoria de Atenção Farmacêutica (DAF), para distribuí-lo com a população. “Além de combater a cólera, o hipoclorito de sódio é importante para evitar as doenças de veiculação hídrica, principalmente as diarreias”, frisou o técnico da Sesau.

Sintomas e tratamento – Ainda de acordo com ele, a cólera é caracterizada por uma diarreia aquosa, semelhante à água de arroz, o que pode causar grave desidratação da vítima. O paciente também é acometido por vômitos, cólicas intestinais, aumento da frequência cardíaca, choque povolêmico e evolução para insuficiência renal, que pode levar à morte.

Já o tratamento, segundo Lourenço Brotas, “consiste basicamente na reidratação do paciente, por isso é importante levá-lo a ingerir o soro caseiro, que pode ser feito com 200 ml de água potável, uma colher de chá de sal e uma de sobremesa de açúcar. Mas para os pacientes em estado grave, o tratamento deve ser realizado com hidratação venosa e antibioticoterapia”, informou.

Histórico – A volta da cólera ao Brasil ocorreu em 2001, e nos anos de 2004 e 2005 ocorreu um surto na cidade de São Bento do Una, no estado de Pernambuco. Nesta ocasião, 26 pessoas foram atingidas pela doença, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


 



Enquete
Qual o candidato de sua preferência para a Prefeitura de União dos Palmares?
Total de votos: 5115
Google News