20/11/2019 09:39:12

28/09/2007 00:00:00

Polícia


Polícia

Depois de mais de 15 horas de julgamento o ex-tenente coronel da Polícia Militar Manoel Francisco Cavancante, foi condenado há cerca de 20 anos de reclusão em regime fechado. Por maioria dos votos (placar de 5 a 2), o Júri concluiu que o ex - tenente foi culpado pela morte do caseiro Cristóvão Luiz dos Santos, o “ Tó”.

Cavalcante cumprirá pena por crime de homicídio qualificado no Presídio de Catanduva, no Estado do Paraná.

A sessão foi presidida pelo juiz Geraldo Amorim da 9ª Vara Criminal da Capital. O julgamento começou às 13 horas de ontem e terminou por volta das 4h:30 da madrugada. A Ação Penal Pública foi movida pelo Ministério Público (MP) que tinha nos autos provas claras em que o ex- tenente - coronel mandou matar “To”.

Para o MP, o caseiro seria a principal testemunha diante do processo da gangue fardada e teria sido executado como queima de arquivo.

Recurso

Os advogados de defesa disseram que vão recorrer da sentença. Manoel Cavalcante ainda falou com a imprensa e resumiu em poucas palavras que não mandou matar Cristóvão dos Santos e afirmou ser inocente no processo. “Estou sendo acusado por um crime que não cometi. Eu não mandei matar Cristóvão. Esse julgamento foi injusto”.

Depois do julgamento, o ex- tenente – coronel Cavalcante voltou para carceragem da Polícia Federal (PF), em Jaraguá, onde aguarda seu retorno para o Presídio de Catanduva, no Paraná, agora pela manhã.

Segundo Policiais Federais, o vôo comercial está previsto para as 7 horas manhã. Estiveram presentes ao julgamento familiares de Cavalcante, estudantes de direitos, Policiais Federais e Polícia Militar de Alagoas, além da imprensa.

Com alagoasagora

Galeria




Enquete
Se a Eleição Municipal fosse hoje qual seria seu candidato preferido?
Total de votos: 2666
Google News