20/11/2019 09:24:30

24/09/2007 00:00:00

Mundo


Mundo

Um professor japonês que jogou uma cadeira nos alunos foi aclamado como "superprofessor" pelo comitê de educação local - embora tenha sido repreendido diversas vezes por usar punições corporais.

O mestre, de 52 anos, trabalha em Kyoto (Japão) e ganha prêmios todos os anos desde 2005, apesar de seu histórico de agressões em sala de aula. O detalhe é que seus métodos de ensino têm melhorado a performance dos alunos.

Ele foi punido três vezes entre 1997 e 2001, incluindo a vez em que jogou uma cadeira no time de vôlei que estava treinando. Foi apontado como um modelo por causa de sua "notável conquista na liderança do time de voleibol", segundo documentos oficiais.

Segundo a agência de notícias de Kyoto, este ano ele foi novamente acusado de ter aplicado castigos corporais.

O sistema escolar do Japão é o centro de um ferrenho debate político. Alguns defendem disciplina estrita nas escolas, incluindo formas mais severas de punição, para melhorar o nível dos alunos. Outros afirmam que os alunos já têm pressão suficiente com a carga horária, os difíceis exames e os freqüentes casos de bullying (agressões físicas e verbais dos colegas).

O professor, que não foi identificado pela agência de notícias, está de licença médica.

Fonte G1



Enquete
Se a Eleição Municipal fosse hoje qual seria seu candidato preferido?
Total de votos: 2666
Google News