17/08/2019 19:52:48

26/09/2010 00:00:00

Municipios


Municipios

Com aquiacontece // fernando vinicius

Seis presos escaparam durante a madrugada deste domingo, 26, da carceragem da delegacia regional de Penedo. Os detentos escaparam escavando um buraco da cela dois, com saída do túnel no corredor situado entre o prédio do distrito policial e o imóvel onde deveria funcionar uma unidade do Instituto Médico Legal (IML). Com a fuga deste domingo, a unidade completa a marca de seis escapadas somente em 2010.

De acordo com os nomes informados por policiais civis, fugiram Edson Bezerra dos Santos, 27 anos, Joelson Farias Silva, 33 anos, José Marcos dos Santos, 26 anos, Ulisses Santos, 26 anos, Fábio Leite Lessa, 24 anos e Damião José da Silva, este detido na última quinta-feira durante cumprimento de mandado de prisão expedido pelo juiz José Braga Neto. Damião foi localizado em sua casa, onde policiais militares apreenderam um revólver 38, munições, cerca de R$ 80 em dinheiro trocado e uma pequena quantidade de crack.

Além do flagrante por posse ilegal de arma e tráfico de entorpecentes, Damião José também é considerado suspeito de cometer o assassinato da servidora da prefeitura de Penedo, Maria Vilma Santos, 55 anos, executada a tiros na noite da última quarta-feira no bairro Camartelo, zona de prostituição situada na parte baixa da cidade, onde Damião reside e foi preso.

Em 2009, nove fugas foram registradas na delegacia de Penedo

No ano passado, a delegacia de Penedo foi destaque entre as demais regionais alagoanas e no cenário nacional, fechando 2009 com número recorde de fugas, nove. Como ainda restam pouco mais de três meses para terminar 2010, não será exagero considerar a possibilidade de quebra do recorde vexatório. Um dos motivos para a suposição é a superpopulação carcerária no xadrez que sequer deveria receber presos por conta da interdição judicial que não saiu do papel.

Apesar da fuga registrada na madrugada deste domingo, 53 detentos permanecem encarcerados nas sete celas que deveriam receber apenas 28 presos. A reforma iniciada na delegacia em abril está paralisada por falta de mão de obra, pessoal cedido pela prefeitura. Caso os serviços tivessem sido concluídos, com a inclusão de propostas feita pela equipe da delegacia regional, as celas teriam recebido uma chapa de ferro sob o concreto do piso das celas, o que dificultaria as escavações, forma mais comum de fugas na delegacia peendense.

O pessoal responsável pelo distrito policial também pediu que as paredes exteriores das celas fossem reforçadas, assim como a instalação de câmeras de monitoramento eletrônico. Contudo, o único investimento recente foi o reforço da grade localizada sobre o pátio onde os presos tomam banho de sol, assim mesmo com material cedido por empresa particular, providência tomada após a quinta fuga de 2010, ocorrida por volta do meio-dia de 31 de julho.



Enquete
Em sua avaliação que nota de 0 a 10 você dá ao Governo Bolsonaro
Total de votos: 505
Google News