25/02/2021 21:35:28

09/07/2010 00:00:00

Municípios


Municípios

Com gazetaweb //

O prefeito de Belo Monte, Avânio Feitosa, foi denunciado nesta quinta-feira (08) pelo Ministério Público Estadual, através do procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, por estelionato, apropriação indébita e emissão de duplicatas simuladas. Os crimes foram cometidos em 2008, quando o agora prefeito presidia a Cooperativa Agropecuária de Major Izidoro (Camila), e conduziu um desvio de mais de R$ 1,7 milhão. O ex-diretor financeiro da cooperativa, o agrônomo Antônio Farias de Arruda, também foi alvo da denúncia do MPE. Se condenados, pelos três crimes, os dois ex-dirigentes podem pegar até 15 anos de reclusão mais multa.

Segundo as investigações, a empresa Atlântida Factoring, alvo das fraudes financeiras, realizava contratos de fomento mercantil com a Camila. Até 2008, as operações foram lícitas, entretanto, naquele ano a empresa adquiriu duplicatas frias de valores que seriam pagos à cooperativa pela Nestlé, referentes à aquisição de leite. Segundo o sócio da Factoring, Efigênio de Almeida Neto, o prefeito reconheceu o débito, mas não pagou. Logo em seguida, o empresário renunciou a presidência com a justificativa de que precisaria se afastar para concorrer ao cargo de prefeito.

O período de emissão das duplicatas frias – que também envolveu outras notas de empresas de Minas Gerais, São Paulo e Maranhão – coincidiu com a campanha eleitoral em Belo Monte, que terminou sendo vencida por Avânio Feitosa. Em 2009, um levantamento nas contas da Camila constatou uma série de depósitos em nome da cooperativa nas contas dos dois dirigentes. Atualmente, a Camila está fechada e com uma série de credores. Os valores desviados corrigidos pela inflação ultrapassariam a casa dos dois milhões de reais.

A reportagem da Gazetaweb não conseguiu entrar em contato com o prefeito de Belo Monte.


Enquete
Você é favorável a privatização do SAAE de União dos Palmares?
Total de votos: 314
Google News