02/03/2021 01:44:21

24/06/2010 00:00:00

União dos Palmares


União dos Palmares

com tudonahora // josenildo torres

Em meio a tragédia dos moradores de União dos Palmares, atingidos pela enchente da última sexta-feira, alguns comerciantes estariam vendendo água, comida e utensílios por preços até quatro vezes maior do que o normal. A denúncia foi formalizada por moradores ao Ministério Público de Alagoas (MP/AL), e o procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, determinou que os comerciantes sejam presos em flagrante, caso sejam flagrados adotando esta prática.

Para isso, ele se baseou na Lei 8.137, que determina ser inafiançável este tipo de crime, com pena dois anos e meio a seis anos de meio de prisão. “Não podemos permitir que algumas pessoas sem coração se aproveitem da dor e da tragédia dos outros”, disse.

Segundo apurou o MP, comerciantes estariam comercializando um garrafão de água mineral por até R$ 20, o que representa cinco vezes mais do que o valor de mercado do produto.

Defesa Civil


Além de atuar para evitar que comerciantes se aproveitem da situação catastrófica, o procurador geral de Justiça ainda determinou que uma comissão de promotores de Justiça para compor uma junta administrativa do Fundo Estadual de Defesa Social (Fundec). A promotora de Justiça Cecília Carnaúba foi designada para presidir os trabalhos, acompanhada dos promotores Micheline Tenório Carlos Eduardo Baltar Maia, Maria José Alves, Gilcele Dâmaso, Myriã Ferro, Jorge Dória, Silvio Azevedo Sampaio, Adriano Correia de Barros Lima, Antônio Luiz e Carmem Sylvia Sarmento.



Enquete
Você é favorável a privatização do SAAE de União dos Palmares?
Total de votos: 323
Google News