02/12/2021 01:16:49

20/08/2007 00:00:00

Saúde


Saúde

A demissão dos hematologistas e dos neurocirurgiões da rede pública de saúde estadual já começou a trazer danos à população. Em menos de uma hora, dois pacientes em estado grave deixaram de ser atendidos no Hemocentro de Alagoas (Hemoal) por falta de profissionais.

Por volta das 9h, um hemofílico com hemorragia foi encaminhado do Hemoal para a Coordenadoria de Emergência Armando Lages (Coemal) devido ao fato da única hematologista que não aderiu à demissão coletiva já ter saído do plantão.

Meia hora depois, Marluce Pereira da Silva, 55 anos, não chegou nem a descer do carro que a trouxe de União dos Palmares. Ao chegar no Hemocentro, a prima da paciente obteve a informação de que não tinha como ser realizado o atendimento.

Marluce está com anemia aguda e veio para Maceió necessitando de sangue em caráter de urgência. “Se ela não tomar sangue urgentemente vai morrer. É um absurdo esta situação, quem não tiver um plano de saúde morre à míngua”, ressaltou Antônia Maria, prima da paciente não atendida.

Todos os casos que chegam ao Hemoal estão sendo encaminhados para a Coemal, onde o atendimento está sendo feito por médicos do Corpo de Bombeiros Militar. O tratamento de doentes renais crônicos e hemofílicos deverá ser feito por apenas uma médica que não pediu desligamento.

Devido à falta de negociação com o Governo do Estado, os primeiros 17 médicos a protocolarem pedidos de demissão deixaram o serviço público nesta manhã. Os hematologistas do Hemoal não foram trabalhar na manhã desta segunda-feira e os neurocirurgiões da Unidade de Emergência deram plantão até as 7 horas de hoje.

Governador em Brasília

A greve dos médicos da rede estadual da Saúde de Alagoas já dura quase três meses. Mais de 200 profissionais já pediram demissão.

Na sexta-feira (17), o governo decretou situação de emergência na Saúde. A decisão permite que o estado contrate profissionais sem concurso e promova a intervenção nos hospitais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para garantir leitos e atendimento.

Hoje ao meio-dia, o governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), se reúne, em Brasília, com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para discutir a crise no estado.

Com alagoas 24 horas // Flávia Duarte



Enquete
Qual desses politicos alagoanos você votaria para Governador em 2022?
Total de votos: 16
Google News